¨Se eu pudesse deixar algum presente a você...
Deixaria para você,
se pudesse,
o respeito àquilo que é indispensável...
Além do pão, o trabalho.
Além do trabalho, a ação.
E, quando tudo mais faltasse, um segredo:
O de buscar no interior de si mesmo a resposta e a força para encontrar a saída.¨

Gandhi

Ganesha Gam Ganesha Gam Ganesha Gam...

Ganesha Gam Ganesha Gam Ganesha Gam...

ÔMMMMMMMMMMMMMM

ÔMMMMMMMMMMMMMM
Yoga é uma prática milenar, um caminho em direção a essência do ser, que nos ensina a reconhecer a experiência de existir plenamente, com boa saúde física, mental e espiritual, sempre em sintonia com a dança da vida.
São Paulo, S.P., Brazil
Marcynha talvez retrate melhor o meu metro e meio de altura. Fui Marcynha desde sempre, nas escolas onde estudei, na faculdade de enfermagem que não concluí, na faculdade de psicologia onde me formei (FMU - 1994), na especialização em Terapia Cognitiva Construtivista da UNIP em 95... Inquieta, sempre buscando novidades, querendo um algo mais... Em 1996 atrás de um novo caminho na psicologia encontrei o caminho do Yoga, um caminho muito além da psicologia, muito além da profissão, um caminho para experimentar a vida! Foi no Yoga que me re descobri, psicóloga por herança familiar e professora de Yoga (desde 1998) por uma escolha que veio do coração. Yam...Yam...Yam... Posso até dizer que meu sobrenome foi uma pista, em sua sonoridade, para que eu ouvisse meu coração. No Yoga encontrei o caminho que me inspira viver e compreender a experiência dessa existência humana.

Arquivos do blog

terça-feira, 16 de setembro de 2014

RETIRO DE ACROYOGA - Fazenda Furquilha (dias 10, 11 e 12 de outubro)

Com Márcia Yahn, Nadia Funes e Paulo Viceconti
 
 
AcroYoga é uma fusão de yoga, acrobacia e massagem tailandesa.
O trabalho se expande para explorar novas possibilidades de expressão, cooperação e harmonia entre os elementos do grupo. Além de trabalhar força física e flexibilidade, desenvolve também atributos mentais como concentração, capacidade de confiar, habilidades de comunicação e espírito de equipe.
As aulas são divertidíssimas, sempre com uma nova surpresa, uma nova interação e integração entre as pessoas. Tudo é feito dentro dos moldes de segurança, respeito e boa comunicação.
Não precisa ter experiência em yoga, acrobacia, massagem ou outra atividade física. Também não precisa ser alongado.
Só precisa ter força de vontade, disposição para trabalhar com pessoas com a idéia de, primeiramente, divertir-se!


 
Programa sugerido:

Sexta feira:  Chegada na Fazenda Furquilha (Monte Alegre do Sul - SP) a partir das 17h
 Prática de partner yoga de 18:30h às 19:45h
Jantar às 20h

Sábado: Meditação no Templo 6:30hSuco verde 7:15h
Partner Yoga - 7:30h às 9h
Café da manhã - 9:15h
Acroyoga Solar (voos acrobaticos) - 10h às 13h
Almoço - 13h
Tempo livre para digestão e desfrute
Acroyoga Lunar (voos terapeuticos) - 15:30h às 18:30h
Jantar às 19:30h
Thai massagem - 20:45h às 22h
 
 

Domingo: Meditação no Templo 6:30h
Suco verde 7:15h
Partner Yoga - 7:30h às 9h
Café da Manhã - 9:15h
Acroyoga solar + lunar - 10h às 13:30h
Almoço às13:30h
Tempo livre



Alimentação ovo lacto vegetariana + práticas + hospedagem
dormitório = R$450,00
chalé = R$500,00
suite = R$600,00


Inscrições via depósito bancário para Marcia Yahn Pinheiro Simões
conta corrente 62506-4 ag 0866 do banco itaú. 
Favor enviar comprovante de depósito para o email yogayahn@gmail.com

domingo, 27 de julho de 2014

Celebração, já! - Hector Othon


O céu está tenso, mas nós intensos.

Sacode o baixo astral, os lamentos, as vacilações; te liga no teu tesão, na bênção de estar vivo e vibrante...E faz o melhor que possas a favor do bem-comum e da celebração da vida.
Minha mãe, como boa sagitariana, uma vez quando tinha dias como estes me falou: “meu filho lindo não fica triste, em momentos como estes é que brilha nossa força e gosto pela vida. Toma um banho gostoso, no final com água fria, como se estivesse numa cachoeira, te veste com a roupa que gostes mais e inventa alguma coisa que traga alegria a teus amigos. A vida passa rápido e não temos tempo para lamentações. Tenho certeza que tem um monte de coisas boas e gostosas para fazer, vai nessa, agora”. E assim fiz, e nunca fui tão feliz, ainda o dia cinza e meus amigos arrasados, no baixo astral da caça as bruxas dos anos 80 em Cuba...
No fogo positivo da minha mãe, me reuni com meus amigos e os consegui contagiar com a alegria de viver e até hoje me lembro como conseguimos gozar a vida celebrando até do cinza brotar um arco iris de delicias e alegrias...
Sacode o baixo astral, encontra as pessoas que amas e celebra a vida!!! Isto o melhor que podemos fazer por nós e pelos amados e amadas perdidos na dor e nas desilusões!!!
Neste fim de semana nada de papos terapêuticos, intentos de entender ou explicar, a alternativa gozosa é celebrar...
Celebrar o quê?

Celebrar a bênção de existir e saber que temos o poder de tudo mudar, especialmente nosso astral e o astral de com quem estivermos juntos só de amar, beijar, abraçar, cantar, dançar...
Risadas, banho gostoso.
Ficar lindo.
E a celebrar...
Ainda que seja agradecendo só o fato de que conseguimos respirar e acreditar que a vida é milagre
e o milagre tudo pode mudar.
Estou sabendo que em São Paulo estão rolando um monte de atividades culturais, entre elas a estreia de Cacilda 5 no Teatro Oficina...Estou sabendo que cada um de nós com certeza tem amigos, familiares que vão se alegrar com tua visita alto astral. Estou sabendo que você, ainda na tua solidão, tem muita coisa para experimentar.
Sacode.
Balança.
Suspira.
E a celebrar... Que ainda o dia cinza, e os planetas em tensão, o Sol está junto a Júpiter para vencer qualquer negatividade, acender o teu tesão, teu entusiasmo e tua felicidade...
Solta a juba, e a celebrar!

Te amo

domingo, 20 de julho de 2014

Código de Ética Indígena - CONSELHO INDÍGENA INTER-TRIBAL NORTE AMERICANO


Levante-se com o Sol para orar.
Ore sozinho.Ore com frequência.
O Grande Espírito o escutará, se você ao menos, falar...

Seja tolerante com aqueles que estão perdidos no caminho.A ignorância, o convencimento, a raiva, o ciúme e a avareza, originam-se de uma alma perdida.
Ore para que eles reencontrem o caminho do Grande Espírito.
Procure conhecer-se, por si mesmo.
Não permita que outros façam seu caminho por você.
É sua estrada, e somente sua!
Outros podem andar ao seu lado, mas ninguém pode andar por você!
Trate os convidados em seu lar com muita consideração.
Sirva-os com o melhor alimento, a melhor cama e trate-os com respeito e honra.
Não tome o que não é seu.
Seja de uma pessoa, da comunidade, da natureza, ou da cultura.
Se não lhe foi dado, não é seu!
Respeite todas as coisas que foram colocadas sobre a Terra. 
Sejam elas pessoas, plantas ou animais.
Respeite os pensamentos, desejos e palavras das pessoas.
Nunca interrompa os outros nem os ridicularize, nem rudemente os imite.
Permita a cada pessoa o direito da expressão pessoal.
Nunca fale dos outros de uma maneira má. 
A energia negativa que você colocar para fora no
Universo, voltará multiplicada paraVocê!
Todas as pessoas cometem erros.
E todos os erros podem ser perdoados!
Pensamentos maus causam doenças da mente, do corpo e do espírito. 
Pratique o otimismo! 
A natureza não é para nós, ela é uma parte de nós. 
Toda a natureza faz parte da nossa família terrenal. 
As crianças são as sementes do nosso futuro. 
Plante amor nos seus corações e regue com sabedoria e lições da vida.
Quando forem crescidos, dê-lhes espaço para que continuem crescendo! 
Evite machucar os corações das pessoas.
O veneno da dor causada a outros, retornará a você.
Seja sincero e verdadeiro em todas as situações.
A honestidade é o grande teste para a nossa herança do Universo.
Mantenha-se equilibrado.
Seu corpo Espiritual, seu corpo Mental, seu corpo Emocional e seu corpo Físico, todos necessitam ser fortes, puros e saudáveis.
Trabalhe o seu corpo Físico para fortalecer o seu corpo Mental.
Enriqueça o seu corpo Espiritual para curar o seu corpo Emocional.
Tome decisões conscientes de como você será e como reagirá. 
Seja responsável por suas próprias ações.
Respeite a privacidade e o espaço pessoal dos outros.
Não toque as propriedades pessoais de outras pessoas, especialmente objetos religiosos e sagrados.Isto é proibido.
Comece sendo verdadeiro consigo mesmo. 
Se você não puder nutrir e ajudar a si mesmo,Você não poderá nutrir e ajudar os outros. 
Respeite outras crenças religiosas.
Não force as suas crenças sobre os outros.
Compartilhe sua boa fortuna com os outros. 
Participe com caridade.

domingo, 6 de julho de 2014

Imersão Elemental de AcroYoga em São Paulo com Erica Montes dias 6, 7, 12, 13 e 14 de setembro no estúdio Yoga.art


Assistência de Thaís Joi, Marcia Yahn, Paulo Viceconti e Satori Correa

O AcroYoga combina a sabedoria do Yoga, o poder dinâmico da acrobacia e a bondade amorosa da massagem tailandesa (metta). A Imersão Elemental integra essas disciplinas e aborda em profundidade e minúcia o espectro completo da prática do AcroYoga. Esse curso oferece uma plataforma para trabalharmos os princípios de confiança, comunicação e cooperação; através de exercícios solo, em duplas e em grupos. A consciência do Yoga estabelece a base a partir da qual exploraremos o dinamismo e a diversao da acrobacia e o poder de cura da massagem Thai. A interação dessas três disciplinas permite assim a todos alcancarem novos níveis em suas práticas e integrarem diversão e alegria durante o aprendizado.

Este curso e aberto a todos, sem pré-requisitos.

Estudaremos em detalhe totalizando 30 horas de curso:
- Voos acrobáticos e terapêuticos de frente e de costas
- Paradas de mão e técnicas de segurança
- Massagem tailandesa nas posições supina e prona
- Sequências de asanas solar e lunar
- Condicionamento físico acrobático e mais..

+ Esta imersão preenche um dos pré-requisitos para o curso de formação de professores de AcroYoga com o fundador da pratica Jason Nemer. O próximo curso para formação de instrutores na America Latina será em Outubro de 2014 no México.

Horário: 10:00 às 13:00 e 15:00 às 18:00 (haverá uma pausa para almoço e jam).

Local: Yoga Art. Rua José Ramon Urtiza, 901. Panamby. São Paulo.

Investimento

Imersão completa (30 horas)- 5 dias:
R$900 para pagamento antecipado até 1 de agosto.
R$1100 apartir de 1 de agosto.


Final de semana – 2 dias:
R$380 antecipado até 1 de agosto.
R$460 depois de 1 de agosto.

Sexta feira, sábado ou domingo – 1 dia:
R$190 antecipado até 1 de agosto.
R$230 depois de 1 de agosto.



Para inscrições, perguntas e reservas mande um email para: yogayahn@gmail.com

 

inscrições via depósito bancário conta Itaú. Agência 0866 cc 62506-4 cpf 106271738-45 para Marcia Yahn Pinheiro Simões

feito o deposito, envie o comprovante para yogayahn@gmail.com 

esfecificando sua opção de dias.

Qq coisa mais volte a escrever ou ligue 981810088.


Para saber mais sobre a prática e sobre os professores e conhecer a comunidade global, visite a pagina oficial do AcroYoga: www.acroyoga.org

Érica Montes iniciou sua formação no Teatro, na adolescência entrou em contato com práticas de meditação e diversas disciplinas de consciência corporal. É professora registrada pela Yoga Alliance na Inglaterra, instrutora de AcroYoga (certificou-se com os fundadores da prática Jason Nemer e Jenny Sauer-Klein em 2008) e terapeuta de massagem Tailandesa.

Stay Strong com David Newman & amigos


Documentário sobre a vida de Buddha e o Budismo


terça-feira, 27 de maio de 2014

Gate Gate - Sutra do Coração


¨Gate Gate...Paragate...Parasamgate...Boddhi Swaha. Foi, foi(Gate Gate)... Foi além(Paragate)... Foi completamente para a outra margem(Parasamgate)... Chegou à iluminação(Boddhi)... Que assim seja, que se manifeste (Swaha).¨
A verdade e o poder que estas palavras carregam são infinitos. Elas nos despertam para a felicidade, lembrando que a alegria depende apenas de nós mesmos, e não do que está ao nosso redor. Assim, quando chegamos a essa compreensão da felicidade, nos abrimos para o que é realmente importante em nossas vidas e em nossas existências, deixando coisas pesadas para trás. Ao ser entoado, este mantra protege a mente de todos os medos. Com isso, ele nos ajuda a atingir o equilíbrio necessário para a transição de uma existência mundana e terrena para o estado que os budistas chamam de iluminação. Ou seja, este mantra nos estimula a ir além, ajudando-nos a atingir o nosso melhor e a nossa luz.

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Aula de 17 de maio de 2014 - eu e Paulo Viceconti


 

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Trust Is Worth The Risk. Don't Take It From Us, Take It From These Acrobats. (In collaboration with Cirque du Soleil)


 

sexta-feira, 18 de abril de 2014

 
¨ É necessário abrir os olhos e perceber que as coisas boas estão dentro de nós, onde os sentimentos não precisam de motivos nem os desejos de razão. O importante é aproveitar o momento e aprender sua duração, pois a vida está nos olhos de quem saber ver. ¨

sábado, 5 de abril de 2014

Viver Yoga

 

Eu carrego comigo uma caixa mágica, onde eu guardo meus tesouros mais bonitos. 
Tudo aquilo que eu aprendi com a vida, tudo o que eu ganhei com o tempo e que vento nenhum leva. 
Guardo as memórias que me trazem riso, as pessoas que tocaram minha alma e que de alguma forma, me mudaram para melhor. 
Guardo também a infância toda tingida de giz. 
Tinha jeito de arco-íris a minha.

Caio Fernando Abreu
Que eu me permita
olhar e escutar e sonhar mais.
Falar menos.
Chorar menos.
Ver nos olhos de quem me vê
a admiração que eles me têm
e não a inveja que penso que têm.
Escutar com meus ouvidos atentos
e minha boca estática,
as palavras que se fazem gestos
e os gestos que se fazem palavras.
Permitir sempre
escutar aquilo que eu não tenho
me permitido escutar.
Saber realizar
os sonhos que nascem em mim
e por mim
e comigo morrem por eu não os saber sonhos.
Então, que eu possa viver
os sonhos possíveis
e os impossíveis;
aqueles que morrem
e ressuscitam
a cada novo fruto,
a cada nova flor,
a cada novo calor,
a cada nova geada,
a cada novo dia.
Que eu possa sonhar o ar,
sonhar o mar,
sonhar o amar,
sonhar o amalgamar.
Que eu me permita o silêncio das formas,
dos movimentos,
do impossível,
da imensidão de toda profundeza.
Que eu possa substituir minhas palavras
pelo toque,
pelo sentir,
pelo compreender,
pelo segredo das coisas mais raras,
pela oração mental
(aquela que a alma cria e
que só ela, alma, ouve
e só ela, alma, responde).
Que eu saiba dimensionar o calor,
experimentar a forma,
vislumbrar as curvas,
desenhar as retas,
e aprender o sabor da exuberância
que se mostra
nas pequenas manifestações
da vida.
Que eu saiba reproduzir na alma a imagem
que entra pelos meus olhos
fazendo-me parte suprema da natureza,
criando-me
e recriando-me a cada instante.
Que eu possa chorar menos de tristeza
e mais de contentamentos.
Que meu choro não seja em vão,
que em vão não sejam
minhas dúvidas.
Que eu saiba perder meus caminhos
mas saiba recuperar meus destinos
com dignidade.
Que eu não tenha medo de nada,
principalmente de mim mesmo:
- Que eu não tenha medo de meus medos!
Que eu adormeça
toda vez que for derramar lágrimas inúteis,
e desperte com o coração cheio de esperanças.
Que eu faça de mim um homem sereno
dentro de minha própria turbulência,
sábio dentro de meus limites
pequenos e inexatos,
humilde diante de minhas grandezas
tolas e ingênuas
(que eu me mostre o quanto são pequenas
minhas grandezas
e o quanto é valiosa
minha pequenez).
Que eu me permita ser mãe,
ser pai,
e, se for preciso,
ser órfão.
Permita-me eu ensinar o pouco que sei
e aprender o muito que não sei,
traduzir o que os mestres ensinaram
e compreender a alegria
com que os simples traduzem suas experiências;
respeitar incondicionalmente
o ser;
o ser por si só,
por mais nada que possa ter além de sua essência,
auxiliar a solidão de quem chegou,
render-me ao motivo de quem partiu
e aceitar a saudade de quem ficou.
Que eu possa amar
e ser amado.
Que eu possa amar mesmo sem ser amado,
fazer gentilezas quando recebo carinhos;
fazer carinhos mesmo quando não recebo
gentilezas.
Que eu jamais fique só,
mesmo quando
eu me queira só.
Amém.
(Oswaldo Antônio Begiato)

sábado, 22 de março de 2014

Yoga.art promove: Vivência de alimentação saudável com Dr Eric Slywitch



Assuntos abordados:

• Elaboração da dieta vegetariana com base em combinações alimentares.
• Nutrientes e alimentos (ferro, vitamina B12, proteínas...).
• Interação metabólica: nutrientes e hormônios.
• Fadiga – ajustes nutricionais e não nutricionais.
• Hábitos ligados à alimentação e estilo de vida para otimizar o funcionamento corporal.
                         
Dia 25 de abril, sexta feira:

Chegada na Fazenda Furquilha
19h   Prática de Yoga Restaurativa com Rosana Alba
20h   Jantar
21h   Apresentação da proposta para o final de semana



Dia 26 de abril, sábado:

7h às 8:30h              Prática de Yoga com Marcia Yahn
8:30h às 9h              Desjejum
9:15h às 10:45h       Aula com Dr Eric Slywitch
10:45h às 11h          Lanche
11h às 12:30h          Aula com Dr Eric Slywitch
12:45h às 13:45h     Almoço
Até 14:30h              Descanso
14:30h às 16h         Aula com Dr Eric Slywitch
16h às 16:15h         Lanche
16:15h às 18h         Aula com Dr Eric Slywitch
19h                         Jantar
20h                         Thai ( Yoga do preguiçoso ) com Marcia

Dia 27 de abril, domingo:

7h às 8:30h            Prática de Yoga com Rosana Alba
8:30h às 9h            Desjejum
9:15h às 10:45h     Aula com Dr Eric Slywitch
10:45h às 11h        Lanche
11h às 12:30h        Aula com Dr Eric Slywitch
12:45h às 13:45h   Almoço


Dr Eric Slywitch é médico especialista em nutrologia, nutrição enteral e parenteral. Especialista em nutrição vegetariana. Coordenador do Departamento de Medicina e Nutrição da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB). Pós graduado em nutrição clínica (GANEP) e Mestre em Nutrição (UNIFESP/EPM).

A vivência proposta irá ocorrer na Fazenda Furquilha, sede da Associação Rural Natureza (http://www.arnatureza.org.br/), localizada em uma região montanhosa de rara beleza, no circuito das águas paulista, entre os municípios de Amparo e Monte Alegre do Sul.


Investimento:
4h de yoga + 10h aula com Dr Eric Slywitch + alimentação
com hospedagem = R$600,00
sem hospedagem = R$450,00

Inscrições com :

Marcia Yahn Pinheiro Simões,
cel (11)981810088
depósitos no Banco Itaú
agência 0866 conta corrente 62506-4.

Favor enviar comprovante de depósito para o email
 yogayahn@gmail.com

Acroyoga at TEDxUNC - tks Amy :) i love u!

¨Inspired by the yoga teacher I had when I lived in Brazil, Ma Yahn, Daniel and I play around with Acro yoga at home. This TED talk says it all about why Acro can help build a deep relationship with yourself and others! Obrigada, Marcinha!¨ Amy Kathleen Mortensen

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

¨ Yoga é um caminho simples e depende, como inúmeros caminhos, da nossa vontade (icchá) e do conhecimento (jñána), que afinado a natureza do espírito, nos conduz a grandes realizações (kriyá)¨ - Edson Moreira

NAMASTÊ नमस्ते

Namastê (em sânscrito: नमस्ते): cumprimento ou saudação utilizada no Sul da Ásia. Utiliza-se na Índia e no Nepal por hindus, sikhs, jainistas e budistas. Nas culturas indianas e nepalesas, a palavra é dita no início de uma comunicação e faz-se um gesto com as mãos unidas, sem ser necessário falar algo.
Namastê é o cumprimento em sânscrito que literalmente significa "curvo-me perante a ti" e é a forma mais digna de cumprimento de um ser humano para outro. O gesto expressa um grande sentimento de respeito, invoca a percepção de que todos indivíduos compartilham da mesma essência, da mesma energia, do mesmo universo, portanto o termo e a ação possuem uma força pacificadora muito intensa.

domingo, 26 de janeiro de 2014

Marcia Yahn e Paulo Viceconti - 26 de janeiro de 2014

Seu corpo registra energeticamente sua historia de vida - José Batista de Carvalho

Mais eficiente que a memória do computador, seu corpo registra tudo que aconteceu com você desde a infância até agora. O psicólogo e teólogo francês Jean-Yves Leloup relaciona símbolos arcaicos com várias partes do corpo e esclarece as causas físicas, emocionais e espirituais das boas sensações e de algumas doenças.
Uma página em branco. É assim o corpo novinho em folha do recém-nascido. Desde o instante do nascimento e a cada fase da vida, a pele, os músculos, os ossos e os gestos registram dados muito precisos que contam nossa história. “O homem é seu próprio livro de estudo, basta ir virando as páginas para encontrar o autor”, diz Jean-Yves Leloup, teólogo, filósofo e terapeuta francês.
É possível escutar o corpo e conhecer sua linguagem, que muitas vezes se expressa por sensações prazerosas, por bloqueios ou pela dor, que nada mais é do que um grito para pedir atenção. “O corpo não mente. As doenças ou o prazer que animam algumas de suas partes têm significados profundos”, revela Leloup.
Ele nos convida a responder algumas questões sobre pés, tornozelos, ventre, genitais, coração, pulmões e muitas outras partes. Elas podem ser nosso guia em uma viagem de autoconhecimento que toca em aspectos físicos, emocionais e espirituais: “Primeiro, podemos notar qual é nosso ponto fraco, o lugar de nosso corpo em que vêm se alojar, regularmente, a doença e o sofrimento. Há a escuta psicológica pela qual podemos prestar atenção no medo ou na atração que vivemos em relação a algumas partes do corpo. E há ainda a escuta espiritual. O espírito está presente em nosso corpo, e certas doenças e algumas crises são manifestações do espírito, que quer trilhar um caminho, que quer crescer, que quer desenvolver-se em membros que lhe resistem”, diz ele. E continua: “Algumas depressões estão ligadas a fatores emocionais, a um rompimento, uma perda, uma falência. Mas há também depressões iniciáticas, em que a vida nos ensina, por meio de uma queda, um acidente, que devemos mudar nosso modo de viver”.
Descubra a seguir quais são os símbolos associados por Jean-Yves Leloup a cada parte do corpo e responda às questões, que facilitam a reflexão e o reconhecimento do que está impresso em você. Boa viagem!
Pés, as nossas raízes
 “Será que experimentamos prazer em estar sobre a terra? Podemos imaginar o corpo como um árvore. Se a seiva está viva em nós, ela desce às raízes e sobe até os mais altos galhos. É de nosso enraizamento na matéria que depende nossa subida à luz. É da saúde de nossos pés que vem o enraizamento”, explica Leloup.
Ele lembra que em diferentes práticas de ioga há a purificação dos pés, que são mergulhados na água salgada. “Pelos pés podem escorrer nossas fadigas e tensões.”
 “A palavra pé, podos, em grego, relaciona-se à palavra paidos, que quer dizer criança. Cuidar dos pés de alguém é cuidar da criança que o habita. Perguntei a um sábio: ‘O que posso fazer para ajudar alguém?’ Ele respondeu: ‘Lembre-se de que essa pessoa foi uma criança, que ainda é uma criança. E que tem dor nos pés.’”
Preste atenção: verifique se seus pés são seu ponto fraco. Como você se apoia sobre eles? Em seguida, toque-os, sentindo ossos, músculos e partes mais ou menos sensíveis. Quais são suas raízes familiares? Quais as expectativas de seus pais em relação a você? Qual seu sentimento em relação a filhos?
Tornozelos, a possibilidade de ir em frente
Termômetro da rigidez ou da flexibilidade com que levamos a vida, os tornozelos têm relação direta com o momento do nascimento. “Por que esse é também um momento de articulação entre a vida dentro e fora do útero. Alguns de nós conheceram dificuldades e viveram até traumas nesse elo que une a vida fetal com o mundo exterior. O corpo guardou essa memória e a expressa na fragilidade dos tornozelos”, diz o filósofo.
Segundo Leloup, os tornozelos simbolizam também o refinamento da vida, as relações íntimas e a articulação do material com o espiritual. As pessoas em que o tornozelo é o ponto fraco têm dificuldade de avançar nos vários aspectos da vida. Dar um passo a mais é ir além de nossos limites e também saber aceitar o que se é, seja isso agradável ou não. “Essa é a condição para ir mais longe”, finaliza ele.
Preste atenção: você costuma ter dor nos tornozelos? Essa região é rígida ou flexível? Sofreu entorses? Em que momentos de sua vida eles ocorreram? É difícil avançar em direção ao que você quer? Qual é o passo que você precisa dar e o passo ao qual resiste?
Joelhos, o apoio para dar e receber colo
A flexibilidade é uma das qualidades importantes para que os joelhos sejam saudáveis. “Quando eles são rígidos, é provável que surjam problemas na coluna vertebral e nos rins”, lembra Leloup, que nos revela o significado mais profundo dessa parte do corpo. “Em algumas línguas, estranhamente há uma ligação entre a palavra filho e a palavra joelho. Em francês, por exemplo, genou, joelho, tem a mesma raiz da palavra générer, gerar. Em hebraico, joelho é berekh, e também bar e bèn, que significa filho. Assim, ser filho, ser filha é estar no colo, envolvido por esse gesto, que é o elo entre os joelhos e o peito. Temos necessidade de dar e receber essa confirmação afetiva. E manter alguém no colo, sobre os joelhos serve para manter o coração aberto”, finaliza.
Preste atenção: observe como são seus joelhos. Eles são flexíveis, rígidos, doloridos? É bom tocá-los ou não? Quem o pegou no colo quando você era criança? Esse gesto de intimidade é familiar para você? Qual a sensação? E você, para quem dá colo (seja fisicamente, seja como símbolo de acolhimento)?
Genitais, a energia de vida
O teólogo Jean-Yves Leloup fala dos tipos de amor e prazer, dos traumas e das sensações vividos na infância que marcam para sempre nossa sexualidade. Ele ressalta que o encontro de dois corpos pode ser mais que físico. “A representação mais primitiva de Deus foi encontrada na Índia e são o lingan e a ioni, o símbolo fálico masculino e o genital feminino. Assim a representação do sexo foi a primeira feita pelo homem para evocar Deus – porque o sexo é onde se transmite a vida. Dessa maneira, passa a ser o local da aliança, algo de muito sagrado”, considera Jean-Yves Leloup. “Portanto, a sexualidade não é somente libido. Essa libido pode tornar-se paixão, passar através do coração e transformar-se em compaixão. É sempre a mesma energia vital, que muda e se transforma de acordo com o nível de consciência no qual nos encontramos.”
Preste atenção: quais são suas dores ou doenças relacionadas aos órgãos genitais? Você sofre desses males? Qual a sensação diante dos seus genitais (vergonha, repulsa, prazer)? Qual sua postura em relação à sexualidade (à sua própria e ao sexo no contexto cultural)?
Ventre, o centro processador de emoções
Estômago, intestinos, fígado, vesícula biliar, baço, pâncreas, rins são os órgãos vitais abrigados em nosso ventre. Eles são responsáveis pela transformação do alimento em energia, pela absorção de nutrientes e pela eliminação de toxinas.
Emoções como raiva, medo, prazer e alegria acertam em cheio essa região e também precisam ser digeridas. Leloup aponta que “o perdão tem uma virtude curativa porque podemos tomar toda espécie de medicamento, sermos acompanhados psicologicamente, mas há, por vezes, rancores que atulham nosso ventre, nosso estômago, nosso fígado”. Ele destaca que todas as partes do corpo lembram a importância de respeitar o tempo de digestão e assimilação de tudo que nos acontece de ruim e também de bom.
Preste atenção: como é sua digestão? Quando você tem uma forte emoção, sente frio na barriga ou alguma reação na região? Quais foram os fatos difíceis de ser digeridos em sua vida? O que há por perdoar?
Coração e pulmões, o pulso vital
Esses dois órgãos estão intimamente ligados a nossa respiração. “O coração é um dos símbolos do centro vital, ele é o centro da relação. E é importante observar como nossa vida afetiva influencia nossa respiração.  Às vezes, nos sentimos sufocar porque não correspondemos à imagem que os outros têm de nós, e isso também impede que o coração bata tranquilamente. Para alguns, querer ser normal a qualquer preço, querer agir como todo mundo, pode ser fonte de doenças”, assinala o psicólogo Jean-Yves Leloup.
Agir de acordo com suas vontades mais genuínas e aceitar o que se é, mesmo que isso não combine com o grupo, pode ser uma das formas de se libertar e sair do sufoco.
Preste atenção: você já teve períodos prolongados de angústia ou tristeza? O que liberta sua respiração e o que o sufoca? Você se preocupa muito com a imagem que as pessoas têm de você? Já parou para ouvir as batidas de seu coração e o das pessoas a quem você ama? O que deixou seu coração partido? O que o fez bater feliz?

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Como saber com quem casar ? - autor desconhecido


Case-se com alguém que adore te escutar contando algo banal como o preço abusivo dos tomates, ou que entenda quando você precisar filosofar sobre os desamores de Nietzsche.
Case-se com alguém que você também adore ouvir. É fácil reconhecer uma voz com quem se deve casar; ela te tranquiliza e ao mesmo tempo te deixa eufórico como em sua infância, quando se ouvia o som do portão abrindo, dos pais finalmente chegando. Observe se não há desespero ou insegurança no silêncio mútuo, assim sendo, case-se.
Se aquela pessoa não te faz rir, também não serve para casar. Vai chegar a hora em que tudo o que vocês poderão fazer, é rir de si mesmos. E não há nada mais cruel do que estar em apuros com alguém sem espontaneidade, sem vida nos olhos.
Case-se com alguém cheio de defeitos, irritante que seja, mas desconfie dos perfeitinhos que não se despenteiam. Fuja de quem conta pequenas mentiras durante o dia. Observe o caráter, antes de perceber as caspas.
Case-se com alguém por quem tenha tesão. Principalmente tesão de vida. Alguém que não lhe peça para melhorar, que não o critique gratuitamente, alguém que simplesmente seja tão gracioso e admirável que impregne em você a vontade de ser melhor e maior, para si mesmo.
Para se casar, bastam pequenas habilidades. Certifique-se de que um dos dois sabe cumpri-las. É preciso ter quem troque lâmpadas e quem siga uma receita sem atear fogo na cozinha; é preciso ter alguém que saiba fazer massagem nos pés e alguém que saiba escolher verduras no mercado. E assim segue-se: um faz bolinho de chuva, o outro escolhe bons filmes; um pendura o quadro e o outro cuida para que não fique torto. Tem aquele que escolhe os presentes para as festas de criança e aquele que sabe furar uma parede, e só a parede por ora. Essa é uma das grandes graças da coisa toda, ter uma boa equipe de dois.
Passamos tanto tempo observando se nos encaixamos na cama, se sentimos estalinhos no beijo, se nossos signos se complementam no zodíaco, que deixamos de prestar atenção no que realmente importa; os valores. Essa palavra antiga e, hoje assustadora, nunca deveria sair de moda.
Os lábios se buscam, os corpos encontram espaços, mas quando duas pessoas olham em direções diferentes, simplesmente não podem caminhar juntas. É duro, mas é a verdade. Sabendo que caminho quer trilhar, relaxe! A pessoa certa para casar certamente já o anda trilhando.

Como reconhecê-la?
Vocês estarão rindo.
Rindo-se. 

Carranca - washmachine criada por Paulo Viceconti e Marcia Yahn