¨Se eu pudesse deixar algum presente a você...
Deixaria para você,
se pudesse,
o respeito àquilo que é indispensável...
Além do pão, o trabalho.
Além do trabalho, a ação.
E, quando tudo mais faltasse, um segredo:
O de buscar no interior de si mesmo a resposta e a força para encontrar a saída.¨

Gandhi

Ganesha Gam Ganesha Gam Ganesha Gam...

Ganesha Gam Ganesha Gam Ganesha Gam...

ÔMMMMMMMMMMMMMM

ÔMMMMMMMMMMMMMM
Yoga é uma prática milenar, um caminho em direção a essência do ser, que nos ensina a reconhecer a experiência de existir plenamente, com boa saúde física, mental e espiritual, sempre em sintonia com a dança da vida.
São Paulo, S.P., Brazil
Marcynha talvez retrate melhor o meu metro e meio de altura. Fui Marcynha desde sempre, nas escolas onde estudei, na faculdade de enfermagem que não concluí, na faculdade de psicologia onde me formei (FMU - 1994), na especialização em Terapia Cognitiva Construtivista da UNIP em 95... Inquieta, sempre buscando novidades, querendo um algo mais... Em 1996 atrás de um novo caminho na psicologia encontrei o caminho do Yoga, um caminho muito além da psicologia, muito além da profissão, um caminho para experimentar a vida! Foi no Yoga que me re descobri, psicóloga por herança familiar e professora de Yoga (desde 1998) por uma escolha que veio do coração. Yam...Yam...Yam... Posso até dizer que meu sobrenome foi uma pista, em sua sonoridade, para que eu ouvisse meu coração. No Yoga encontrei o caminho que me inspira viver e compreender a experiência dessa existência humana.

Arquivos do blog

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

como preservar sua fêmea da espécie humana - Luiz Fernando Veríssimo

O desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários seres e entre os mais ameaçados está a fêmea da espécie humana.
Tenho apenas um exemplar em casa,que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela quem me mantém.Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência, lanço a campanha 'Salvem as Mulheres!Tomem aqui os meus poucos conhecimentos em fisiologia da feminilidade a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam:
1. Habitat
Mulher não pode ser mantida em cativeiro.
Se for engaiolada, fugirá ou morrerá por dentro. Não há corrente que as prenda e as que se submetem à jaula perdem o seu DNA. Você jamais terá a posse de uma mulher, o que vai prendê-la a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente.
2. Alimentação correta
Ninguém vive de vento. Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem, sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro. Beijos matinais e um 'eu te amo' no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não a deixe desidratar. Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial.
3. Flores
Também fazem parte de seu cardápio - mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.
4. Respeite a natureza
Você não suporta TPM? Case-se com um homem.
Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia, discutir a relação? Se quiser viver com uma mulher, prepare-se para isso.
5. Não tolha a sua vaidade
É da mulher hidratar as mechas, pintar as unhas, passar batom, gastar o dia inteiro no salão de beleza, colecionar brincos, comprar muitos sapatos, ficar horas escolhendo roupas no shopping. Entenda tudo isso e apoie.
6. Cérebro feminino não é um mito
Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino. Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente o aposentaram!). Então, aguente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração. Se você se cansou de colecionar bibelôs, tente se relacionar com uma mulher. Algumas vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você. Não fuja dessas, aprenda com elas e cresça. E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com os homens, a inteligência não funciona como repelente para as mulheres.
Não faça sombra sobre ela. Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda.
Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo.

E meu amigo, se você acha que mulher é caro demais, vire GAY.

MULHER, só tem mulher, quem pode!

sábado, 18 de dezembro de 2010

“Arte do Criador através do homem de conhecimento e compaixão" - Jin Shin Jyutsu, Fisio-Filosofia.

Jyutsu = Arte
Shin
= Criador
Jin
= Homem de conhecimento e compaixão

O Jin Shin Jyutsu, Fisio-Filosofia, é uma arte de harmonização do corpo, mente e espírito por meio de toques, em áreas do corpo que concentram a energia vital.
Essa prática foi desenvolvida através dos estudos do Mestre Jiro Murai, no Japão, no início do século XX, e tem como princípio aproveitar a capacidade inerente a todos seres humanos, sem exceção, de gerar a própria harmonia física, mental e emocional e, assim, manter a saúde.
Nem sempre estamos conscientes deste nosso poder essencial e, ao ativá-lo, é possível restaurar a força vital e ficar menos vulnerável às doenças e aos efeitos do estresse.
As sessões de Jin Shin Jyutsu duram aproximadamente uma hora. Os toques são suaves, realizados sobre a roupa, e não envolvem manipulação de músculos ou uso de qualquer substância.
Existem 26 áreas no corpo, chamadas de Travas de Segurança da Energia estando as mesmas localizadas ao longo dos caminhos que distribuem vida pelo corpo. Ao serem tocadas duas a duas, seguindo diversas combinações, restauram o equilíbrio dos fluxos vitais no corpo, na mente e no espírito.
O Jin Shin Jyutsu é indicado como tratamento complementar em casos agudos e crônicos. Este tratamento atua no alívio de dores, desconfortos e disfunções físicas, sobrecargas emocionais e falta de clareza mental. Além disso, o Jin Shin Jyutsu é uma Fisio-Filosofia, pois nos permite conhecer a essência da natureza humana, ensinando a perceber, compreender e transformar a nossa realidade de forma natural, sem esforço. Com a prática desta arte podemos reconhecer a sabedoria do corpo e da vida, entender suas mensagens e utilizá-las para gerar harmonia e saúde.
Através do Jin Shin Jyutsu despertamos nossa consciência, confiança e entusiasmo para nos entregar ao fluxo da vida com seus muitos e constantes processos de transformação.

Experimente!
Espaço Gallery, Av. Guilherme Dumont Villares, 1481. Morumbi.
tel:(11) 2476-9847
2476-9837

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Anna Yoga - Chandogya Upanishad

Anna, em sânscrito, significa "alimento".
O Yoga da alimentação abrange todos os aspectos do ato de nos nutrirmos.
Alimentamo-nos diariamente, quase que sem exceção: então porque não aproveitar esse tempo para o desenvolvimento da consciência e saúde?
Essa é a proposta do Anna Yoga.

¨Na comida pura há uma consciência pura.
Numa natureza pura existe a fixação firme da memória e numa memória firme há a libertação de todos os vínculos.¨
- Chandogya Upanishad.

Alimentos crus - Conceição Trucom

Fonte:
Palestra apresentada pelo Dr. Ernst Bauer durante o Congresso de Vegetarianismo em Widnau – Suíça - 1999

Tenho 85 anos. Exerço a medicina há 20 anos em Arosa, na Suíça.
Meu pai era médico rural e conheci os limites da medicina convencional convivendo com doenças crônicas já na minha juventude. De constituição bastante frágil, procurava ampliar as possibilidades da medicina convencional com métodos alternativos.
Hoje, considero alimentação e jejum os mais importantes.
O famoso médico suíço, Dr. Marx Bircher-Benner (1867-1993), ouviu falar dos incríveis efeitos da alimentação crua. Experimentou e ficou perplexo com o resultado. Naquela época, todas as crianças com doença abdominal morriam. A clínica pediátrica do Hospital Universitário de Zurique encaminhou quatro crianças ao Dr. Bircher-Benner. Retornaram curadas.
Sua alimentação consistia, principalmente, de bananas frescas, depois substituídas por maçãs frescas, com o mesmo resultado. Também as crianças diabéticas foram beneficiadas com uma dieta exclusiva de frutas frescas.
O Dr. Bircher-Benner apresentou ao Dr. Joseph Evers, na Alemanha, três pacientes que ficaram livres de esclerose múltipla, uma doença considerada incurável. O Dr. Evers começou, então, a tratar pacientes portadores de esclerose múltipla e outras doenças consideradas incuráveis, com resultados surpreendentes.
Em reunião da Associação Alemã de Neurologia, o Dr. Evers apresentou suas radiografias e a estatística, mostrando que - ao iniciar a alimentação com frutas e verduras frescas dentro do período de um ano após o aparecimento dos sintomas - 94% dos portadores de esclerose múltipla ficavam curados.
O Dr. Evers, falecido em 1975, não utilizava medicamentos, somente alimentação. Em seu livro "Warum Evers-Diät?" (Porque a dieta Evers?), ele afirma:
"O sucesso é a melhor prova de que uma teoria está correta".
O Dr. Honekamp, diretor clínico de uma clínica psiquiátrica alemã, documentou, em seu livro sobre a cura de doenças mentais com produtos naturais, como conseguiu curar pela alimentação crua, com poucas exceções, os pacientes internados em sua clínica. Entretanto ele mostrou que a esquizofrenia crônica só pôde ser curada após quatro anos.
Tudo foi esquecido até recentemente, quando o físico Fritz Popp descobriu que os nutrientes vivos irradiam fótons. Essas pequenas partículas de luz aparentemente protegem o sistema imunológico e destroem células cancerígenas.
Quando aquecemos os alimentos vivos, a irradiação se torna muito forte e depois cessa - os alimentos estão mortos. No livro "Biologie des Lichts" (Biologia da luz), publicado em 1984, ele descreve os princípios da irradiação extremamente fraca das células.
Uma enfermeira do Hospital da Universidade de Zurique estava morrendo. Anos antes haviam-lhe retirado um tumor maligno da mama. Mais tarde apareceram metástases no fígado. Quando o tumor reapareceu por uma terceira vez após duas quimioterapias, acreditavam que nada mais poderia ser feito. Era Natal e seus amigos vieram despedir-se dela. Uma amiga lhe falou da alimentação crua e logo trouxe frutas e hortaliças frescas. No dia seguinte a enfermeira já pôde deixar a alta dose de morfina que estava tomando contra as dores, e se levantar. E a cada dia passou a ficar de pé por mais tempo.
Como podemos explicar este feito imediato sobre tumores malignos?
A pesquisadora em oncologia, Virginia Livingston, de San Diego, EUA, descreveu em seu livro "The conquest of Cancer" (A conquista do câncer) que os alimentos vivos, as frutas e as hortaliças contém um ácido, um subproduto da vitamina A, que também é produzido no fígado. Essa substância freia o câncer, mas é sensível ao calor. Cenouras cozidas no vapor só contém 1% a 2% da quantidade do ácido que as cenouras cruas contém.
Recomendo aos pacientes em minha clínica; eu mesmo me alimento desta forma:
1. Comer apenas o que nasce na natureza;
2. Disso, só comer aquilo que temos vontade, apenas na quantidade que o corpo pede e quando sentimos fome;
3. Consumir os alimentos assim como a natureza nos oferece, sem misturar, sem temperos, sem aquecer.
Sempre que possível, comer os alimentos isentos de agrotóxicos e adubos químicos.
Como podemos saber se uma fruta é saudável ou prejudicial?
Só nosso instinto pode nos dizer isso.
Cada ser vivo tem sua voz interior, inclusive as bactérias e os vírus.
O ser humano é o único ser vivo que não segue sua voz interior.
Nós nos achamos superiores, porém, se não seguimos esta voz, surge o vício.
O adulto é viciado no fumo, em alimentos desnaturados, cozidos, etc.
Após um jejum, estes vícios desaparecem. O instinto, a voz interior, ressurgem de volta como em um recém nascido.
Ao comermos alimentos cozidos, ocorre um aumento de glóbulos brancos após a refeição - como se tivéssemos ingerido algo agressivo. Nosso sistema imunológico, neste caso, está ocupado de manhã até à noite, enfrentando os tóxicos que introduzimos com a alimentação aquecida, em vez de se defender contra os germes e destruir células cancerígenas.
Ao dar alimentação cozida para animais selvagens saudáveis como fizeram Mac Carrison na Inglaterra e o Prof. Kollath na Alemanha, primeiro eles tornam-se agressivos e depois adoecem com as doenças da civilização moderna e morrem.
Se acrescentarmos vitaminas sintéticas, eles morrem alguns dias mais tarde. Entretanto, se os colocarmos em liberdade para que voltem a se nutrir de alimentos vivos, seguindo o seu instinto, eles se recuperam.

Comentário final de Conceição Trucom:
Logicamente, existem casos onde o corpo físico já está tão desestruturado que uma indicação radical é condição urgente de sobrevivência.
Porém, em condição de prevenção, sempre podemos encontrar um meio termo entre a alimentação 100% crua e a alimentação moderna, que é super industrializada, aditivada e distante do natural.
Este meio termo chama-se Alimentação Desintoxicante, que faz uso de sucos desintoxicantes, preparados a partir de alimentos crus, frescos e plenos de vitalidade. Também existem os lanches (ou sobremesas) e sopas desintoxicantes que sempre podem nos ajudar neste caminho do meio.
A Alimentação Desintoxicante está baseada num conjunto de práticas terapêuticas diárias, que começam com os sucos desintoxicantes, mas que devem ser integrados com os exercícios divinos de cura (Divine Healing Meditation), técnicas simples de respiração e meditação (No Mind) e até a antiga oração do perdão dos kahunas.
A sabedoria não está no radicalismo, mas na flexibilidade com discernimento e bom senso.



Conceição Trucom é química, cientista e escritora sobre temas voltados para a Alimentação Consciente, Meditação e autoconhecimento.
www.docelimao.com.br

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Yajur Veda; XXXIV:2-5

A mente vai para longe quando a pessoa está acordada ou dormindo.
Vagueia muito longe e é a luz das luzes.
Que a mente tenha pensamentos elevados.
A mente é um instrumento único e sagrado,
presente em todos,
e que o sábio usa para seus atos nobres.
Que ela tenha pensamentos elevados.
A mente possui as faculdades de cognição e fixação.
É a luz imortal.
Nada pode fazer-se sem a mente.
Que ela tenha pensamentos elevados.
A mente abrange o passado, o presente e o futuro
e guia as ações.

Que ela tenha pensamentos elevados.

Acreditar - Mahatma Gandhi

Creio em mim mesmo.
Creio nos que trabalham comigo, creio nos meus amigos e creio na minha família.
Creio que Deus me emprestará tudo que necessito para triunfar, contanto que eu me esforce para alcançar com meios lícitos e honestos.
Creio nas orações e nunca fecharei meus olhos para dormir, sem pedir antes a devida orientação a fim de ser paciente com os outros e comigo mesmo.
Creio que o triunfo é resultado de esforço inteligente, que não depende da sorte, da magia, de amigos, companheiros duvidosos ou de meu chefe.
Creio que tirarei da vida exatamente o que nela colocar.
Serei cauteloso quando tratar os outros, como quero que eles sejam comigo.
Não caluniarei aqueles que não gosto.
Não diminuirei meu trabalho por ver que os outros o fazem.
Prestarei o melhor serviço de que sou capaz, porque jurei a mim mesmo triunfar na vida, e sei que o triunfo é sempre resultado do esforço consciente e eficaz.
Finalmente, perdoarei os que me ofendem, porque compreendo que às vezes ofendo os outros e necessito de perdão.
Felicidade é quando o que você pensa , o que você diz e o que você faz estão em harmonia.

A literatura hindu e a síntese do hinduísmo - Pedro Kupfer

Hinduísmo é o termo empregado para designar as instituições culturais, religiosas e sociais da grande maioria da população indiana. O hinduísmo faz a sua aparição no contexto da primitiva civilização hindu, durante o alvorecer da nação indiana.
Embora não exista uma data precisa a partir da qual possa se dizer que surge a civilização hindu, poderíamos localizá-la entre o declínio da civilização vêdico-harappiana (2200-1900 a.C.) e o século VI a.C., a partir do qual possuímos registros escritos.
Não temos evidências históricas para o milênio anterior à época clássica na Índia, mas temos abundante material nos planos filosófico e religioso. As primeiras escrituras do hinduísmo não possuem uma data precisa, foram compostas e transmitidas oralmente durante um lapso de tempo incerto antes de serem transcritas, embora a tradição oral (parampará) estivesse largamente desenvolvida.
O termo hinduísmo não deve restringir-se apenas ao âmbito religioso, pois não seria uma religião tal como se concebe no Ocidente: não possui um fundador, nem hierarquia, dogmas, liturgia ou profetas. Aliás, nem sequer existe uma palavra para designar essa instituição em sânscrito. A que mais se aproximaria é dharma, que se traduz mais precisamente como lei humana ou social. Também não existe um termo para designar Deus.
Distinguimos quatro grandes momentos na formação do hinduísmo clássico:
1) O período vêdico (1400-500 a.C.), que compreende a transcrição para o nágarí de obras de tradição oral que remontam à idade vêdica (7000-4000 a.C.): Vedas, Brahmánas, Upanishads e Áranyakas, que formam a base de uma importante porção ulterior da filosofia hindu.
2) A literatura épica: o Mahabhárata, o Rámáyána e os Puránas, epopéias e escritos mitológicos surgidos com anterioridade ao ano 3000 a.C. e transcritos para o nágarí entre os séculos III a.C. e IV d.C.
3) A grande síntese hindu, momento em que começam a se configurar as seis escolas filosóficas tradicionais (darshana), o dharma, o sistema de castas, o uso do sânscrito como língua sagrada e a diferença entre Revelação (Shruti) e Tradição (Smriti), de 1400 a.C. até o século V d.C.
4) O Bhakti Yoga ou hinduísmo devocional, que embora tenha raízes antigas, alcançou força considerável entre os séculos VII e XVI d.C.

1) O período vêdico
A) O gênero mais antigo é o dos Vedas, uma coleção de hinos e fórmulas rituais através dos quais o oficiante e harmonizava com as forças naturais. Embora de temática aparentemente limitada, estes livros revelam-se obras primas do ponto de vista literário, dando-nos uma visão global da cultura, dos valores e da forma de vida do povo vêdico.
Existem quatro Vedas: o Rig, o Sáma, o Yajur e o Atharva. O primitivo panteão hindu era muito complexo e até contraditório, pois os diversos autores inseriram ao longo dos séculos inúmeras concepções diferentes. Mesmo assim, podemos identificar claramente as diferentes forças da Natureza encarnadas nestes deuses: Súrya, Vishnu e Savitr são divindades solares, Agni personifica o fogo; Váyu relaciona-se com o vento, Rudra-Shiva é o deus terrível, Mitra e Varuna são os conservadores da criação e Indra o deus guerreiro.
B) Os Brahmánas são tratados escritos pelos sacerdotes que versam sobre a prática litúrgica e expõem a cosmogonia primitiva do Purushasukta: o nascimento do homem primordial através de ascese extrema (tapas) e sacrifício, que garante a continuidade da criação através da repetição do gesto criador.
C) Já nos Áranyakas (Livros da Floresta) e nas Upanishads (ensinamentos ouvidos aos pés de um Mestre), os hindus passam a aplicar as técnicas contemplativas, havendo uma transferência de interesses do mero ritual para a meditação.
Começam assim a questionar o universo, a natureza da realidade suprema, o porque da existência humana e as relações entre essa realidade e o homem. Inferiram que a natureza suprema é igual à natureza humana e que é possível alcançar a fusão dessas realidades através das técnicas contemplativas. Há treze Upanishads reveladas (Shruti), das quais três tratam do Yoga e descrevem técnicas de meditação: Svetáshwatara, Maitrí e Kena. Todas as outras são posteriores, e pertencem à Tradição (Smriti).

2) A literatura épica
Ganha popularidade ao mesmo tempo em que se delineiam as principais tendências do hinduísmo: o shivaísmo, o vaishnavismo e o culto de Shaktí nas suas diversas formas. As epopéias mais importantes são o Mahabhárata e o Rámáyána. A primeira obra, O Grande (Combate) dos Bháratas, é um poema épico escrito em 100.000 slokas, estrofes de dois ou quatro versos, oito vezes maior do que a Ilíada e a Odisséia juntas. Descreve a cruenta batalha renhida entre os Pándavas e seus primos Kauravas pelo reino de Bhárata.
Essa guerra, embora real, é uma verdadeira alegoria sobre o ser humano e a eterna conflagração de poderes entre o bem e o mal. Posteriormente será acrescentada à sua estrutura a Bhagavad Gítá, poema no qual o avatára Krishna, ensina ao príncipe guerreiro Arjuna os princípios de três tipos de Yoga: Karma, Jñána e Bhakti Yoga.
O Rámáyána, ou Feitos de Ráma, que possui numerosas versões, conta as aventuras de Ráma para resgatar a sua amada Sítá do seu raptor, o demônio Rávana. É necessário precisar que as datas aqui mencionadas referem-se ao momento em que estas obras, de transmissão oral, foram transcritas para pergaminhos ou folhas de palmeira (pushtaka).
Existem atualmente estudiosos que situam a origem do Veda e dos épicos na última era glacial, ao redor de 8000 anos atrás. Paralelamente às epopéias surgem os dezoito Grandes e os dezoito Pequenos Puránas, crônicas, mitos e lendas arquetípicos utilizados desde tempos imemoriais como fonte de educação popular. Os Puránas e os épicos possuem para a nação hindu o mesmo valor exemplar e a mesma importância que o Ocidente outorga à História.

3) A síntese hindu
É o momento em que se definem as grandes instituições e tendências filosóficas, no fim do período upanishâdico. Neste período perfilam-se as seis grandes escolas de filosofia (darshana) e outras instituições tradicionais: a concepção do sistema de castas (varna), os códigos da lei (dharma) e a literatura sânscrita clássica, que inclui textos sobre fonética, gramática, astronomia, matemática e outras ciências.
As epopéias (Mahabhárata, Rámáyána), Puránas (crônicas e mitos populares), Ágamas (manuais de culto), Tantras (tratados filosóficos) e darshanas (pontos de vista filosóficos), constituem a Tradição (Smriti), oposta e posterior à Revelação (Shruti), que inclui os Vedas, Brahmánas, Áranyakas e as treze primeiras Upanishads.
Os seis darshanas, pontos de vista ou escolas filosóficas, formam três pares: Sámkhya/Yoga, Nyáya/Vaisheshika e Mímánsá/Vedánta. O Sámkhya e o Yoga formam sem dúvida o par mais antigo de darshanas, tendo suas raízes profundamente fincadas na Índia aborígene.
O Sámkhya (lit., número, discriminação) é uma filosofia especulativa de fundo dualista que poderia ser definida como emanacionista: os seus vinte e quatro princípios (tattwa) formam uma estrutura vertical, na qual cada elemento ou grupo de elementos emana dos anteriores, e todos do par original Purusha/Prakriti. Através dos diferentes tattwas circulam três estados (guna) que definem por interação todo o existente: sattwa (leveza, equilíbrio), rajas (ação, emoção), e tamas (inércia, escuridão).
O Yoga é um conjunto sistematizado de técnicas que visam a alcançar o estado não condicionado da hiperconsciência (samádhi). À diferença dos outros darshanas, que são meramente especulativos, o Yoga utiliza práticas contemplativas para atingir o estado do não condicionamento.
O Yoga está inextrincavelmente ligado ao Sámkhya, e faz suas as premissas deste último. Antes de ser reconhecido como darshana, o Yoga já tinha alguns milênios de existência, estando ligado ao Niríshvara Sámkhya, ou Sámkhya ateísta. A partir da sua inclusão na grande síntese hindu, já com o status de darshana, passa a receber também o nome de Sêshwara Sámkhya, ou Sámkhya teísta, pois reconhece a existência de um Princípio Criador que estava fora das asserções do Sámkhya ateísta, mais antigo.
O Nyáya e o Vaisheshika são ramos separados da mesma escola, complementam-se entre si e ficaram virtualmente amalgamados em um único sistema filosófico. Nyáya (penetrar, compreender) é uma palavra que significa investigação analítica, e foi tomada em um sentido menos amplo como lógica. Esta é a corrente que mais se aprofundou nos processos e leis do pensamento, e baseia-se em compreensão exata e argumentação correta, estabelece uma clara diferença entre matéria e espírito.
O Vaisheshika expõe o ponto de vista atomista, explicando a origem, a estrutura e a evolução do Universo. O mundo material é composto de átomos (anu), unidades especiais, eternas e imutáveis que se caracterizam apenas pela sua particularidade (vishêsha), donde o nome.
O Mímánsá (exame, forma, regra) ou Púrva Mímánsá não é um sistema filosófico propriamente dito, mas um dogmático sistema de interpretação das escrituras vêdicas que versa sobre como devem ser feitos os rituais e as cerimônias religiosas.
O Vedánta (o fim do Veda) é um darshana monista (adwaita ), que tem como objetivo acabar com a ignorância metafísica. Está baseado na interpretação das Upanishads e propõe a teoria da máyá (ilusão), segundo a qual o mundo não é real da forma como o percebemos. Também recebe o nome de Uttara Mímánsá.

4) O hinduísmo devocional
O culto devocional (bhakta) de Shiva, Shaktí e Vishnu possui os seus próprios textos: os Ágamas e os Tantras. O culto de Shiva e Vishnu já aparece nos épicos, sendo de grande importância no sul da península indiana. Existem diversas correntes do shivaísmo e do shaktismo que integram práticas do Yoga e do Tantra. Nelas reconhecemos formas de culto à Natureza que remetem às populações proto-australóides da Índia pré-histórica.

sábado, 4 de dezembro de 2010

SOBRE FRUTAS... (Marisi Espindola)

Pêra
A pêra é um dos maiores presentes do verão para os amantes da alimentação natural. Com um sabor delicioso, a fruta é rica em potássio, sódio, cálcio, fósforo, enxofre, magnésio, silício, ferro, vitaminas A e C e do complexo B. É utilizada popularmente como coadjuvante do tratamento da hipertensão arterial e da prisão de ventre, sendo considerada, também, um ótimo diurético. Sua maior ação terapêutica se faz na doença diverticular do intestino.
Banana
Conhecida como um dos mais completos alimentos, a banana constitui uma inesgotável fonte de hidratos de carbono, potássio, sódio, fósforo, cloro, magnésio, enxofre, silício, cálcio, niacina, vitaminas A, B1, B2 e C. É nacionalmente conhecida como calmante intestinal, por estimular o apetite e as funções digestivas, graças a uma substância oleosa presente em sua composição, de efeito adstringente, que suaviza o intestino delgado, grosso e reto, sendo aplicada em casos de diarréia aguda ou crônica
Abacate
Nutritivo e altamente energético o abacate é o alimento dos tempos de recessão. Dentro dessa ótica, no Maranhão, já foi incorporado como complemento alimentar da população mais carente, sendo misturado com a farinha de mandioca ou de milho. Possui alto conteúdo de proteínas e sais minerais, mas sua principal característica é a alta quantidade de gordura, proporcionando aproximadamente 162 calorias por 100 gramas da fruta, o dobro da manga, duas vezes e meia o valor calórico da maçã e do abacaxi, mais de três vezes e meia o da laranja. Da fruta, se aproveita quase tudo. Das folhas do abacateiro se faz um chá que tem fama de ser diurético e carminativo, ou seja, que elimina gases intestinais. O caroço tostado e moído bem fino combate a diarréia e a disenteria. O abacate também é muito utilizado pela indústria de cosméticos, em forma de cremes nutritivos e hidratantes, xampus, emulsão protetora hidratante, creme de limpeza, máscara refinadora, creme de mãos e unhas, sabão cremoso, leite de limpeza, entre outros. É conhecido, também por seus poderes afrodisíacos. Segundo a crença popular, a polpa do abacate é um ótimo estimulante sexual, assim como seus botões florais. Quem sofre de dor reumática e dor da gota possui no azeite de abacate um bom remédio.
Melão
Alimento rico em vitaminas A, possui também todo o complexo B e C, cálcio, ferro e fósforo. Possui alto conteúdo de celulose, que lhe dá uma função laxante suave. Recomendado nos casos de gota, reumatismo, artrite, obesidade colite, prisão de ventre, afecções renais, nefrite e cistite.
Melancia
Ideal para os dias quentes e para quem quer emagrecer, a melancia é uma das frutas mais ricas em vitaminas vendidas no Brasil: vitaminas A, C, B1 (tiamina) , B2 (riboflavina), B6, B12, niacina, ácido fólico, ácido pantotênico e biotina. As sementes da melancia são utilizadas em algumas regiões do país para fazer uma bebida diurética e vermífuga, denominada orchata.
Abacaxi
Fruta típica de países tropicais, é rica em potássio, magnésio, cálcio, vitaminas A, C, B1 e D. Auxilia na digestão, devido à presença de bromelina em sua composição (uma mistura de enzimas que desdobram proteínas, facilitando a digestão). É muito utilizado na preparação de xaropes.

Propriedades Medicinais de Algumas Frutas

Ao decorrer do tempo, o homem veio a descobrir que as frutas possuem não só um grande valor nutritivo, mas também efeito medicinal. As frutas hoje estão entre os maiores agentes terapêuticos dados pela natureza. Todas as frutas são dotadas de propriedades medicinais. Umas são adstringentes, outras emolientes. Umas excitam as funções gástricas, outras ativam as funções intestinais. Umas desintoxicam o organismo, dissolvendo e expelindo os venenos; outras suprem ao organismo as necessárias vitaminas e os indispensáveis sais.
O poder medicinal das frutas é caracterizado para cada espécie. Assim, apresentamos a seguir um resumo das constatações experimentais
ABACATE: É usado contra o reumatismo, promove a eliminação dos gases, digestivo, laxativo.
ABACAXI: Facilita a digestão, germicida, oxidante forte, desobstruente do fígado, combate a icterícia, combate a artrite, combate o inchaço, combate a difteria, bom contra as afecções da garganta e contra a arteriosclerose.
ABIU: Combate as afecções das vias respiratórias.
AMEIXA: É purgativa, depurativa.
AMÊNDOA: É eficaz contra as enfermidades das vias respiratórias e a irritação das vias urinárias.
ARAÇÁ: É calmante.
AZEITONA: A verde é adstringente, ao passo que a preta é laxativa.
BANANA: Combate a diarréia, calmante, favorece a formação, secreção e excreção do leite, combate a anemia.
CAMBUÇÁ: É bom para o estômago.
CAQUI: É alcalinizante, bom para as afecções do fígado e os catarros da bexiga.
CASTANHA: É benéfica para os rins e o fígado, e muito útil na diarréia das crianças.
CEREJA: É alcalinizante, remineralizante, combate a disenteria, e eficaz contra a arteriosclerose.
CÔCO: É calmante, combate a febre, combate os vermes, útil nas inflamações intestinais.
FIGO: Combate as afecções das vias respiratórias, laxante, tem a propriedade de amolecer os tecidos, atenuar as inflamações, as inchações e as queimaduras, e aliviar as dores e cura feridas.
FRUTA-DO-CONDE: É estimulante do apetite.
JENIPAPO: É indicado na má digestão e nas afecções do fígado e do baço.
GOIABA: Combate a diarréia e os tumores.
GRUMIXAMA: É estimulante do apetite, reanimadora.
JABUTICABA: É estimulante do apetite, reanimadora.
LARANJA: Combate a falta da vitamina C, estimulante do apetite, reguladora intestinal, laxante, diurética, combate o reumatismo, calmante, digestiva, antifebril, anti-hemorrágica, combate a nevralgia, restaura o fluxo menstrual, quando escasso ou ausente, combate a nefrite, depurativa, contra verminose, etc.
LIMA: É acalinizante e combate a falta da vitamina C.
LIMÃO: O suco é estimulante do apetite, diurético, combate a febre, combate o reumatismo, combate a falta da vitamina C, anti-séptico, adstringente, curam feridas e combate o vômito. Dissolve os cálculos; combate as afecções produzidas por diversos microorganismos (cólera, disenteria, tifo, etc.).
MAÇÃ: Combate a diarréia, estomacal, combate as afecções das vias respiratórias. Alimento para o cérebro.
MAMÃO: É laxante, diurético, tem a propriedade de amolecer os tecidos, atenuar as inflamações, as inchações e as queimaduras, e aliviar as dores e cura feridas, refrescante.
MANGA: É anticatarral, combate a falta da vitamina C, depurativa, refrescante, tem a propriedade de fazer suar, digestiva.
MANGABA: É digestiva.
MARACUJÁ: É calmante e tem a propriedade de amolecer os tecidos, atenuar as inflamações, as inchações e as queimaduras, e aliviar as dores e cura feridas. Muito usado na coqueluche.
MARMELO: É adstringente, fortificante do aparelho digestivo.
MELANCIA: É calmante, diurética, refrigerante.
MELÃO: É calmante e diurético.
MORANGO: É diurético, anti-reumático, alcalinizante, combate a febre, elimina toxinas do fígado, laxante, facilita a digestão, tônico para os nervos.
NOZ: É bom remédio para o cérebro e para o sistema nervoso em geral.
PÊRA: É diurética e abaixa a pressão.
PÊSSEGO: É um bálsamo para o estômago e um precioso alimento para os diabéticos. PITANGA: É refrigerante e antiberibérica. As folhas combatem a febre, mesmo nas maleitas rebeldes.
ROMÃ: As raízes são usadas para expulsar a tênia (ou solitária).
SAPOTI: É refrigerante.
TAMARINDO: É laxante e até purgativo.
UVA: É vitalizadora, alcalinizante, anti-reumática, depurativa,diurética, laxante, tônica para o sistema nervoso.

COMO SELECIONAR E COMPRAR FRUTAS
Compre frutas de boa qualidade. São mais saborosas e fornecem ao nosso organismo o máximo de seu valor nutritivo.
Escolha frutas frescas, firmes, reagindo a uma leve pressão dos dedos, de boa aparência, perfeitas, sem sinais de danificação por insetos, na cor correspondente ao seu grau de maturidade e completamente maduras, se forem para consumo imediato.
O abacaxi deve estar com as folhas da "coroa" firmes. Dando-lhe uma pancadinha com os dedos polegar e indicador, o som deve ser semelhante a um "piparote" dado na parte interior do pulso.
Compre o mamão "de vez", quando não for para consumo imediato. O mamão maduro tem tonalidade amarelo-dourada.
A banana madura não deve ter manchas verdes na ponta.

COMO CONSERVAR AS FRUTAS EM CASA
Frutas "de vez" devem ser conservadas em temperaturas ambiente, até o seu completo amadurecimento, quando devem ser consumidas ou levadas para a geladeira. As frutas se conservam por poucos dias na geladeira. Depois murcham, perdendo o sabor e o valor nutritivo. O mamão "de vez" deve ser envolvido em papel ou guardado em lugar escuro e fresco. O mamão não deve ser riscado, porque o líquido que sai contribui para perda de sabor e valor nutritivo. O abacaxi deve ser colhido após o seu completo amadurecimento. Quando colhido antes, ele murcha, perde o sabor e o valor nutritivo. A pêra deve ser colhida "de vez", após alcançar o máximo de seu tamanho.

Molho para salada

1 xícara de aceto balsamico
1/2 xícara de açúcar
1 xícara de cebola picada
1/2 xícara de azeite
1/2 xícara de shoyo

Modo d fazer :
doure a cebola no azeite ,
junte o açúcar e mexa bem.
coloque o aceto e o shoyo
deixe ferver até reduzir um pouco e ficar meio "fedidinho" o ambiente .

quando esfriar ele ficará meio grossinho...

“ESTRAGA O BOFE COM COGUMELOS”

INGREDIENTES:
1 pacote de shitaque cortado em tiras
1 pacote se shimeji (separar cogumelo por cogumelo deixando os soltos)
1 pacote de champignon fresco cortado em rodelas
1 pacote de cogumelo salmon cortado em tiras
2 pacotes de fungi seco
2 cebolas grandes raladas
2 potes de requeijão
200g de parmesão ralado
300g de creme de leite
2 tabletes de caldo de legumes
noz moscada
pimenta do reino
páprica picante
salsinha e cebolinha

PREPARO:
Lave bem os cogumelos. Hidrate o fungi na véspera, lavando-o por 3 ou 4 vezes, até que adquira uma coloração de chá forte; escorra bem a água.
Em panela funda refogue a celola e a cebolinha com manteiga, ou azeite de oliva (sou + a segunda opção), salpicando a pimenta do reino e a páprica picante, para dar um colorido a mais na cebola que deve dourar. Vá adicionando os cogumelos e os tabletes de caldo de legumes; isso toma tempo, eles devem cozinhar na água que irão soltar, siga mexendo sempre! Quando já estiverem amolecidos, coloque uma boa pitada de noz moscada, misture então o requeijão, o creme de leite e o parmesão. Sal se julgar necessário e por fim a salsinha.

Receita do gengibre do restaurante japonês - Patrícia Bastos

- descascar o gengibre e cortar em fatias finas
- colocar as fatias num pote e lavar bem com água corrente
- depois de lavado, encher o pote com água filtrada até que todo o gengibre fique submerso. Acrescentar sal a água, até que ela fique levemente salgada
- fechar o pote e deixar o gengibre nesta água salgada da noite pro dia
- no dia seguinte jogue fora a água salgada e lave novamente o gengibre com água corrente.
- agora você deve deixar o gengibre numa nova mistura: vinagre de arroz com Açucar. Proporção: 3/4 de Açucar pra 4/4 de vinagre.
- deixe o gengibre submerso nesta mistura por algumas horas, em seguida leve esta mistura com gengibre ao fogo, cozinhar em fogo baixo até que o gengibre fique macio.

Pronto depois é só comer!

PARE E PENSE SOBRE NUTRIÇÃO VEGAN - Traduzido por Helder L. S. da Rocha

Extraído do prefácio do livro "The Compassionate Cook or 'Please Don't Eat the Animals!' - A Vegetarian Cookbook" by People for the Ethical Treatment of Animals (PETA) e Ingrid Newkirk.

Alimentos vegetarianos não são bons somente para todos os animais que você não come. Eles também são ótimos para a sua cintura, suas artérias coronárias, e sua longevidade.
Grãos, vegetais, frutas, e feijões possuem índices baixíssimos de gordura e têm altos níveis de carboidratos complexos, que aceleram seu metabolismo e melhoram sua capacidade de queimar calorias. O resultado é o controle de peso de uma forma mais fácil que qualquer dieta e, melhor de tudo, permanente. Vegetarianos também tendem a ter corações mais sadios. Por serem os produtos animais a única fonte de colesterol e a principal fonte de gordura saturada na alimentação, alimentos vegetarianos são ótimos para se manter um coração saudável. Aliado a outros hábitos de um estilo de vida saudável (não fumar, fazer exercícios diários, reduzir o stress), alimentos vegetarianos podem mesmo fazer com que doenças cardíacas existentes desapareçam - algo que não é possível com dietas de carne magra, frango, e peixe que foram recomendadas no passado.
Dietas baseadas em plantas ajudam a prevenir o câncer. Câncer de mama, por exemplo, ocorre menos quando pessoas comem alimentos que têm menor índice de gordura, mais fibras e certas vitaminas. Câncer de cólon, próstata e de outros órgãos são também fortemente ligados a alimentos, e a dieta vegetariana é claramente a melhor também nesses casos. Uma dieta vegetariana é também ótima para crianças. Enquanto seus amiguinhos carnívoros desenvolvem os riscos de futuras doenças cardíacas e começam a construir seu risco de câncer, crianças vegetarianas estão mais seguras nas duas situações.
É claro, a palavra 'vegetariana' significa coisas diferentes para pessoas diferentes. A melhor dieta é uma que não inclua nenhum produto de origem animal. Essa dieta é chamada de dieta vegetariana pura ou dieta vegan. Veganos têm os mais baixos níveis de colesterol e a melhor saúde entre todos os outros grupos. Ovo-lacto vegetarianos consomem ovos e leite, e obtém alguns benefícios de uma dieta vegetariana, mas não tanto quanto os veganos.
Três questões freqüentemente surgem quando as pessoas discutem dietas vegetarianas: proteína, cálcio e vitamina B12. Felizmente, todas três são facilmente solucionadas:
1. Antes se pensava que vegetarianos teriam proteínas suficientes somente se combinassem (ou complementassem) certos alimentos, como grãos e feijões. É hoje sabido que qualquer seleção normal de alimentos de origem vegetal oferece mais que a quantidade de proteínas suficientes, e a combinação intencional não é necessária. De fato, proteína vegetal é melhor que a proteína animal de várias maneiras. Auxilia na preservação da função dos rins e na força dos ossos, e ainda ajuda a baixar níveis de colesterol e risco de câncer.
2. Equilíbrio de cálcio é mais fácil atingir em dietas vegetarianas que em dietas de carne. Isto não é só porque folhas, verduras e feijões são ricas em cálcio. Mais importante: carnes causam um desperdício de cálcio do organismo. Por causa da quantidade e tipo de proteínas presentes nas carnes, o cálcio acaba sendo extraído dos ossos e é excretado na urina. Osteoporose e fraturas são epidêmicas nos Estados Unidos e em outros países ocidentais, e tem sua causa tanto na dieta baseada em carne como no crescente estilo de vida sedentário.
3. Vitamina B12 é necessária para o corpo em pequenas quantidades para saudável funcionamento dos nervos e do sangue. Não é criada por animais ou plantas, mas por formas de vida unicelulares como bactérias. Bactérias em vegetais não lavados e produtos fermentados como missô asiático ou tempeh contém B12, mas no higiênico mundo moderno essas não são fontes previsíveis. Produtos animais contém B12 porque animais têm bactérias em seus aparelhos digestivos que produzem a vitamina. Mas vegetarianos podem incluir obter B12 em sua dieta através de cereais fortificados e suplementos de vitaminas. Todos os suplementos de vitaminas comuns, inclusive vitaminas vegetarianas, contém B12.
Quando você come alimentos vegetarianos, não são apenas os animais que irão lhe agradecer, o seu corpo também.

SALADA COLORIDA DE FOLHAS E FRUTAS

INGREDIENTES:
folhas de espinafre crú
folhas de rúcula
folhas de agrião
3 xícs. de abacaxi pérola em cubos
3 xícs. de uva Thompson
3 xics. de morangos em rodelas
3 xícs. de cerejas
3 xícs. de mexirica (sem pele) ou laranja cortada em pedaços pequenos
batata palha ou croutton temperado
mussarela ralada
2 maracujás azedo
1 vidro de maionese de tofu
1 cebola
salsinha
1 xic. de café de molho de mostarda para salada

PREPARO:
Misture as três folhas, distribua as frutas por cima.
Bata no liquidificador a polpa do maracujá com a maionese, a cebola., a salsinha e o molho de mostarda. Coloque sal se julgar necessário.
Sirva as folhas e frutas, deixando a parte o molho de maracujá, a mussarela ralada e a batata ou crouton.
Obs.: a ordem dos fatores não altera o produto, porém, apreciando a estética, pode-se montar prato a prato; coloque as folhas, as frutas, o molho e salpique a mussarela. A batata, ou crouton, deve ir por cima para permanecer crocante.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Darci, o manézinho da ilha na turma da Yoga

rir é bom demais!

Sahanaa Vavatu

A amizade é um dos elos que conecta as pessoas em uma jornada...

Om Saha Naa vavatu
Om, que possamos ser protegidos.

Saha Nau Bhunaktu
Que desfrutemos juntos os frutos de nossas ações.

Saha Veeryam Karavaa vahai.
Que juntos trabalhemos, unindo nossas forças pelo bem da humanidade.

Tejasvi Naava dheetamastu
Que nosso conhecimento seja pleno de luz e propósito.

Maa Vidvishaa vahai
Que nunca haja inimizade entre nós.

Om Shaantih Shaantih Shaantih
Que exista paz, paz, perfeita paz.

Almas perfumadas - Ana Cláudia Saldanha Jácomo

Tem gente que tem cheiro de passarinho quando canta. De sol quando acorda. De flor quando ri. Ao lado delas, a gente se sente no balanço de uma rede que dança gostoso numa tarde grande, sem relógio e sem agenda. Ao lado delas, a gente se sente comendo pipoca na praça. Lambuzando o queixo de sorvete. Melando os dedos com algodão doce da cor mais doce que tem pra escolher. O tempo é outro. E a vida fica com a cara que ela tem de verdade, mas que a gente desaprende de ver. Tem gente que tem cheiro de colo de Deus. De banho de mar quando a água é quente e o céu é azul. Ao lado delas, a gente sabe que os anjos existem e que alguns são invisíveis. Ao lado delas, a gente se sente chegando em casa e trocando o salto pelo chinelo. Sonhando a maior tolice do mundo com o gozo de quem não liga pra isso. Ao lado delas,pode ser abril, mas parece manhã de Natal do tempo em que a gente acordava e encontrava o presente do Papai Noel.
Tem gente que tem cheiro das estrelas que Deus acendeu no céu e daquelas que conseguimos acender na Terra. Ao lado delas, a gente não acha que o amor é possível, a gente tem certeza. Ao lado delas, a gente se sente visitando um lugar feito de alegria. Recebendo um buquê de carinhos. Abraçando um filhote de urso panda. Tocando com os olhos os olhos da paz. Ao lado delas, saboreamos a delícia do toque suave que sua presença sopra no nosso coração.
Tem gente que tem cheiro de cafuné sem pressa. Do brinquedo que a gente não largava. Do acalanto que o silêncio canta. De passeio no jardim. Ao lado delas, a gente percebe que a sensualidade é um perfume que vem de dentro e que a atração que realmente nos move não passa só pelo corpo. Corre em outras veias. Pulsa em outro lugar. Ao lado delas, a gente lembra que no instante em que rimos Deus está dançando conosco de rostinho colado. E a gente ri grande que nem menino arteiro.
Costumo dizer que algumas almas são perfumadas, porque acredito que os sentimentos também têm cheiro e tocam todas as coisas com os seus dedos de energia. Minha avó era alguém assim. Ela perfumou muitas vidas com sua luz e suas cores. A minha, foi uma delas. E o perfume era tão gostoso, tão branco, tão delicado, que ela mudou de frasco, mas ele continua vivo no coração de tudo o que ela amou. E tudo o que eu amar vai encontrar, de alguma forma, os vestígios desse perfume de Deus, que, numa temporada, se vestiu de Edith, para me falar de amor.

Afinidade por Artur da Távola

Afinidade é um dos poucos sentimentos que resistem ao tempo e ao depois.
A afinidade não é o mais brilhante, mas o mais sutil, delicado e penetrante dos sentimentos.
É o mais independente também.
Não importa o tempo, a ausência, os adiamentos, as distâncias, as impossibilidades.
Quando há afinidade, qualquer reencontro retoma a relação, o diálogo, a conversa, o afeto no exato ponto em que foi interrompido.
Ter afinidade é muito raro.
Mas, quando existe não precisa de códigos verbais para se manifestar.
Existia antes do conhecimento, irradia durante e permanece depois que as pessoas deixaram de estar juntas.
Afinidade é ficar longe pensando parecido a respeito dos mesmos fatos que impressionam, comovem ou mobilizam.
É ficar conversando sem trocar palavras. é receber o que vem do outro com aceitação anterior ao entendimento.
Afinidade é sentir com, não é sentir contra, nem sentir para, nem sentir por, nem sentir pelo.
Sentir com é não ter necessidade de explicar o que está sentindo.
É olhar e perceber.
É mais calar do que falar, ou, quando é falar, jamais explicar: apenas afirmar.
Afinidade é ter perdas semelhantes e iguais esperanças.
É conversar no silêncio, tanto nas possibilidades exercidas quanto das impossibilidades vividas.
Afinidade é retomar a relação no ponto em que parou sem lamentar o tempo de separação.
Porque tempo e separação nunca existiram.
Foram apenas oportunidades dadas (tiradas) pela vida.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Pequenas mudanças para uma...ATITUDE CONSCIENTE!

Troque seus produtos de consumo por produtos "verdes"!
Eles não são produzidos com insumos de origem animal e não são testados em animais.

Limpeza: Cassiopéia - Bio Wash
Link: http://www.veraloe.com.br/biowash.html
Ração: Fridog Vegetariana
Link: http://www.fri-ribe.com.br/petFood.php?idProd=4
Higiene: Sabonete de glicerina vegetal Granado
Link: https://www.granado.com.br/produtos/Default.aspx
Creme dental Contente
Link: http://www.contente.com.br/
Cuidado íntimo: Vagisil
Link: http://www.vagisil.com.br/
Cosméticos: Éh Cosméticos
Link: http://www.ehcosmeticos.com.br/
Protetor Solar: Episol
Link: http://www.mantecorp.com/
Para maiores informações acesse:
http://www.guiavegano.com.br/vegan/por-que-usar-produtos-veganos/produtos-veganos-2
Empresas cruéis que testam em animais:
- Baruel
- Brystol
- P&G (Tampax, Gillete)
- Colgate Palmolive Company
- Bombril
- Santher
- Johnson & Johnson
- Assolan
- Baruel
- Unilever (OMO, ADEs, Kibon, Becel, etc)
- Santher
- Reckitt Benckiser
- L'Oreal
- Galderma
- Dermatus
- Dermacyd (Sanofi-Aventis)
- Brilux Produtos de Limpeza
- Bic
- Apis Flora

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

O LAÇO E O ABRAÇO - Mário Quintana

Meu Deus! Como é engraçado!
Eu nunca tinha reparado como é curioso um laço...
Uma fita dando voltas. Enrosca-se, mas não se embola, vira, revira, circula e pronto: está dado o laço.
É assim que é o abraço: coração com coração, tudo isso cercado de braço.
É assim que é o laço: um abraço no presente, no cabelo, no vestido, em qualquer coisa onde o faço. E quando puxo uma ponta, o que é que acontece? Vai escorregando...Devagarzinho, desmancha, desfaz o abraço. Solta o presente, o cabelo, fica solto no vestido.
E, na fita, que curioso, não faltou nem um pedaço.
Ah!
Então, é assim o amor, a amizade. Tudo que é sentimento. Como um pedaço de fita. Enrosca, segura um pouquinho, mas pode se desfazer a qualquer hora, deixando livre as duas bandas do laço. Por isso é que se diz: laço afetivo, laço de amizade.
E quando alguém briga, então se diz: romperam-se os laços. E saem as duas partes, igual meus pedaços de fita, sem perder nenhum pedaço.
Então o amor e a amizade são isso...Não prendem, não escravizam, não apertam, não sufocam.
Porque quando vira nó, já deixou de ser um laço!

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Amo bichinhos!

Amo bichinhos, quem me conhece sabe...

São quatro gatinhos (Mingau, Sita, Durga e Kali) e um cãozinho (Punna), todos recolhidos das ruas de SampaCity, meus filhos lindos, queridos e amados, que me encantam e ensinam dia a dia a arte de amar...

Esse cara do vídeo merece todo meu respeito e admiração, chorei de emoção ao assistir e faço questão de compartilhar....

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

QUE HAJA TRANSFORMAÇÃO E QUE ELA COMEÇE COMIGO - Natasha

Sigo a minha vida como quem viaja e cuida de um lindo e amplo território.Nele há flores,frutos,árvores e plantas todas magníficas e belas; e formosos e amistosos animais,além disso há dias de sol,céu estrelado, e chuvas benfazejas...Há princípio acreditei que isso fosse eterno e único,mas depois aprendi, com a experiência, que nesse local também existem espinhos,frutos venenosos,galhos secos,mato irregular e animais selvagens e famigerados,bem como dias nublados,noites escuras, e tempestades destruidoras,sem contar que a beleza de hoje após um tempo já havia fenecido e aquele lindo nascer e pôr de sol,que me parecia inigualável,embora permanecendo em meu coração,amanhã poderia dar lugar à outro mais deslumbrante.Depois de pensar muito sobre isso,claro que não sem um profundo sentimento de tristeza e desapontamento,cheguei a conclusão da impermanência e da interdependência de todas as coisas e descobri que aquilo que parecia só pernicioso e letal, nesse ambiente, estava ali para ajudá-lo desde que o viajante soubesse,com maestria,a utilizar essas condições a seu favor.Hoje continuo a admirar as flores a saborear os frutos a contemplar o céu estrelado e admirar os animais amistosos,mas sei que espinhos e cardos,tempestades, céu nublado e animais selvagens fazem parte desse ecossistema,assim como a morte e o nascimento de belas espécimes são a realidade intrínseca da existência.Por isso atualmente aceito aquelas coisas que tem que ser aceitas,mas podem ter certeza que com sabedoria, sei exorcizar as bestas,purificar os venenos,e usar os restos vegetais e animais para adubar esse lugar.Só tenho compaixão de quem ainda não compreendeu e se deu conta desse fato.Sendo assim, a quantidade de material putrefato e desarmônico colocado nesse ambiente é igual,através da transmutação,à velocidade do aumento da sua beleza..........All things must pass...

terça-feira, 20 de julho de 2010

A PEDRA - Antonio Pereira

A Pedra...
O distraído nela tropeçou.
O bruto a usou como projétil.
O empreendedor, utilizando-a, construiu.
O camponês, cansado da lida, dela fez assento.
Para meninos, foi brinquedo.
Drummond a poetizou.
Deus a tornou Fundamental e Angular.
Já Davi, matou Golias.
E dela, Michelangelo extraiu-lhe a mais bela escultura...
Em todos esses casos, a diferença não esteve na pedra, mas no homem!Não existe "pedra" no seu caminho que você não possa aproveitá-la para o seu próprio crescimento, independe o tamanho das "pedras" no decorrer de sua vida.
Não existirá uma "pedra" sequer que você não possa aproveitar para o seu crescimento espiritual.
Quanto à sua "pedra" atual (ou "pedras"), tenho certeza de que Deus lhe dará sabedoria e escape para, mais tarde, quando você olhar para trás, ter regozijo e alegria pela maravilhosa experiência que tal "pedra" causou em sua vida...E pela contribuição ao seu crescimento espiritual, que coloca não só você, mas a todos nós mais perto do Pai.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Hatha Yoga

Yoga é uma filosofia e prática de vida milenar, de origem indiana, e como tal, simbologias, sons, gestos e posturas têm seu significado na busca da união com a realidade oculta dentro de nós e no universo divino que nos rodeia.
O Hatha-Yoga talvez seja o sistema mais conhecido e praticado no Ocidente e envolve a prática de posturas físicas, conhecidas como ásanas e técnicas respiratórias especiais, chamadas de pranayamas.
Hatha Yoga significa yoga do sol e da lua; ha significando o Sol e tha, a Lua, como forma de simbolizar os 2 pólos positivo e negativo, opostos e complementares, constituintes de tudo que existe no Universo. A corrente energética ha é estimulante, ligada ao sistema nervoso simpático e tha, sedante, ligada ao sistema nervoso parassimpático; através da prática estas e correntes fluem de forma harmônica, garantindo o equilíbrio e a saúde.
A prática regular purifica o corpo e o afeta energeticamente equilibrando o sistema nervoso e endócrino, vitalizando os órgãos, combate à impotência sexual, combate à prisão de ventre e flatulência, promove aumento da irrigação sanguínea, mantém e aumenta a flexibilidade e elasticidades dos tecidos, mantém e melhora a contratilidade muscular, promove alongamento, e reduz as tensões e contraturas musculares. Mentalmente, promove concentração, equilíbrio, tranqüilidade e autoconhecimento, beneficiando corpo, mente e espírito.
Como qualquer prática, pode ser fácil para uns ou intenso para outros, produz efeitos sensíveis, que se traduzem por uma mudança de atitude e uma disposição mais ampla e mais equilibrada para todas as coisas, independente de idade ou preparo físico.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

SILÊNCIO - o maior do mestres

Aprende com o silêncio a ouvir os sons interiores da sua alma, a calar-se nas discussões e assim evitar tragédias e desafetos...
Aprende com o silêncio a aceitar alguns fatos que você provocou, a ser humilde deixando o orgulho gritar lá fora, evitar reclamações vazias e sem sentido...
Aprende com o silêncio a reparar nas coisas mais simples, valorizar o que é belo, ouvir o que faz algum sentido...
Aprende com o silêncio que a solidão não é o pior castigo, existem companhias bem piores.
Aprende com o silêncio que a vida é boa, que nós só precisamos olhar para o lado certo, ouvir a música certa, ler o livro certo.
Aprende com o silêncio que tudo tem um ciclo, como as marés que insistem em ir e voltar, os pássaros que migram e voltam ao mesmo lugar, como a Terra que faz a volta completa sobre o seu próprio eixo, complete a sua tarefa.
Aprende com o silêncio a respeitar a sua vida, valorizar o seu dia, enxergar em você as qualidades que você possui, equilibrar os defeitos que você tem e sabe que precisa corrigir e enxergar aqueles que você ainda não descobriu.
Aprende com o silêncio a relaxar, mesmo no pior trânsito, na maior das cobranças, na briga mais acalorada, na discussão entre familiares...
Aprende com o silêncio a respeitar o seu "eu", a valorizar o ser humano que você é, a respeitar o Templo que é o seu corpo, e o Santuário que é a sua vida.
Aprende hoje com o silêncio, que gritar não traz respeito, que ouvir ainda é melhor que muito falar...
Na natureza tudo acontece com poder e silêncio, com um silêncio poderoso; por vezes, o silêncio é confundido com fraqueza, apatia ou indiferença.
Pensa-se que a pessoa portadora dessa virtude está impedida de reclamar seus direitos e deve tolerar com passividade todos os abusos.
Acredita-se que o silêncio não combina com o poder, pois este tem se confundido com prepotência e violência.
O Sol nasce e se põe em profunda quietude; move gigantescos sistemas planetários, mas penetra suavemente pela vidraça de uma janela sem a quebrar, acaricia as pétalas de uma rosa sem a ferir, e beija as faces de uma criança adormecida sem a acordar; aí uma vez vamos encontrar na natureza lições preciosas a nos dizer que o verdadeiro poder anda de mãos dadas com a quietude.
As estrelas e galáxias descrevem as suas órbitas com estupenda velocidade pelas vias inexploradas do cosmos, mas nunca deram sinal da sua presença pelo mais leve ruído.
O oxigênio, poderoso mantenedor da vida, penetra em nossos pulmões, circula discreto pelo nosso corpo, e nem lhe notamos a presença.
A luz, a vida e o espírito, os maiores poderes do universo, atuam com a suavidade de uma aparente ausência.
Como nos domínios da natureza, o verdadeiro poder do homem não consiste em atos de violência física, quando um homem conquista o verdadeiro poder, toda a antiga violência acaba em benevolência. A violência é sinal de fraqueza, a benevolência é indício de poder.Os grandes mestres sabem ser severos e rigorosos sem renegarem a mais perfeita quietude e benevolência.
Deus, que é o supremo poder, age com tamanha quietude que a maioria dos homens nem percebem a Sua ação.
Essa poderosa força, na qual todos estamos mergulhados, mantém o Universo em movimento, faz pulsar o coração dos pássaros, dos bandidos e dos homens de bem, na mais perfeita leveza. Até mesmo a morte, chega de mansinho e, como hábil cirurgiã, rompe os laços que prendem a alma ao corpo, libertando-a do cativeiro físico.
O verdadeiro poder chega: sem ruído, sem alarde e sem violência.
Sempre que a palavra poder lhe vier à mente, lembre-se do Sol que nasce e se põe em profunda quietude; move gigantescos sistemas planetários, mas penetra suavemente pela vidraça de uma janela e você só sabe pelo calorzinho que ele proporciona.
Acarinha as pétalas de uma flor sem a ferir, beija as faces de uma criança adormecida sem a acordar...
Bem aventurados os mansos, porque eles possuirão a Terra.
Boa terra em teus pés, água o bastante em tua semente, bom vento para o teu sopro, fogo em teu coração e muito amor em teu ser. O êxito ou o fracasso de sua vida não depende de quanta força você põe em uma tentativa, mas da persistência no que fizer.
Em respeito a você, eu me calo.
Silencio para que você possa ouvir o seu interior a falar...
E desejar-lhe uma vida vitoriosa!

RELAÇÃO por Dráuzio Varella

Para que serve uma relação?
Qual a definição mais simples e exata sobre o sentido de mantermos uma relação?
Uma relação tem que servir para tornar a vida dos dois mais fácil.
Vou dar continuidade a esta afirmação porque o assunto é bom, e merece ser desenvolvido. Algumas pessoas mantém relações para se sentirem integradas na sociedade, para provarem a si mesmas que são capazes de ser amadas, para evitar a solidão, por dinheiro ou por preguiça. Todos fadados à frustração.
Uma armadilha.
Uma relação tem que servir para você se sentir 100% à vontade com outra pessoa, à vontade para concordar com ela e discordar dela, para ter sexo sem não-me-toques ou para cair no sono logo após o jantar, pregado.
Uma relação tem que servir para você ter com quem ir ao cinema de mãos dadas, para ter alguém que instale o som novo, enquanto você prepara uma omelete, para ter alguém com quem viajar para um país distante, para ter alguém com quem ficar em silêncio, sem que nenhum dos dois se incomode com isso.
Uma relação tem que servir para, às vezes, estimular você a se produzir, e, quase sempre, estimular você a ser do jeito que é, de cara lavada uma pessoa bonita a seu modo.
Uma relação tem que servir para um e outro se sentirem amparados nas suas inquietações, para ensinar a confiar, a respeitar as diferenças que há entre as pessoas, e deve servir para fazer os dois se divertirem demais, mesmo em casa, principalmente em casa.
Uma relação tem que servir para cobrir as despesas um do outro num momento de aperto, e cobrir as dores um do outro num momento de melancolia, e cobrirem o corpo um do outro, quando o cobertor cair.
Uma relação tem que servir para um acompanhar o outro no médico, para um perdoar as fraquezas do outro, para um abrir a garrafa de vinho e para o outro abrir o jogo, e para os dois abrirem-se para o mundo, cientes de que o mundo não se resume aos dois.

terça-feira, 25 de maio de 2010

SHARING... from Andie

Recebi esse e-mail de uma aluna e achei importante dividir...Principalmente, pq é sempre um carinho que recebo das pessoas. E carinho é o que devemos alimentar nas almas que compartilham a experiência de estar vivo.

Hi Marcia,
I write a fitness blog and thought that you would be interested in what I wrote this week-since you are the catalyst for my LOVE OF YOGA
See you tonight!
Andie

Week 17-The power of yoga

I have been in a relationship with yoga for about a year now. Like every new affair we have had our ups and downs, but luckily we are really starting to get to know each other. This bond that we have built has been a wonderful addition to my exercise routine. It has been fascinating for me to be able to go beyond the intellectual mind and enter my spiritual heart and be able to identify with my inner self. Yoga has given me an avenue to feel an expansion of consciousness. When I practice yoga often, I feel more inner peace and joy, not to mention that I am able to be a more devoted, tender, balanced, loving mother, wife and friend. My stress seems to slip off me like butter on hot veggies, rather than staying with me day in and day out. I believe that happiness is self generated, but I will take all the help I can get and having yoga in my life, gives me happiness!
The reason for this is that practicing yoga increases levels of serotonin production which influences mood and behaviour. Practicing yoga and meditation is much more that a spiritual connection, it has a wealth of health benefits as well. Yoga increases blood flow, decreases muscle tension, decreases PMS and enhances the immune system. Yoga also increases the ability to concentrate and by strengthening the mind, it is under your control and is able to provide effective guidance to the physical body.
A good friend of mine once said “Yoga is more than stretching the body- it is enlightenment through movement. “ To me, yoga is a journey that offers continual opportunities for growth. By challenging yourself with different approaches you stay present and creative. I hope that you too will start a relationship with yoga, you will not regret the inner peace and joy it brings.
¨True inner joy is self - created.
It does not depend on outer circumstances.
A river is flowing in and through you carrying the message of joy.
This divine joy is the sole purpose of life.¨

From: Wings of Joy by Sri Chinmoy

quarta-feira, 12 de maio de 2010

AS ESCOLHAS DE UMA VIDA - Martha Medeiros

A certa altura do filme Crimes e Pecados, o personagem interpretado por Woody Allen diz: “Nós somos a soma das nossas decisões”.
Essa frase acomodou-se na minha massa cinzenta e de lá nunca mais saiu.
Compartilho do ceticismo de Allen: a gente é o que a gente escolhe ser, o destino pouco tem a ver com isso.
Desde pequenos aprendemos que, ao fazer uma opção, estamos descartando outra, e de opção em opção vamos tecendo essa teia que se convencionou chamar “minha vida”.
Não é tarefa fácil.
No momento em que se escolhe ser médico, se está abrindo mão de ser piloto de avião. Ao optar pela vida de atriz, será quase impossível conciliar com a arquitetura.
Se é a psicologia que se almeja, pouco tempo sobrará para fazer o curso de odontologia. Não se pode ter tudo.
No amor, a mesma coisa: namora-se um, outro, e mais outro, num excitante vaivém de romances.
Até que chega um momento em que é preciso decidir entre passar o resto da vida sem compromisso formal com alguém, apenas vivenciando amores e deixando-os ir embora quando se findam, ou casar, e através do casamento fundar uma microempresa, com direito a casa própria, orçamento doméstico e responsabilidades.
As duas opções têm seus prós e contras: viver sem laços e viver com laços. Escolha.
Morar em Londres ou numa chácara? Ter filhos ou não? Posar nua ou ralar atrás de um balcão? Correr de kart ou entrar para um convento?
Fumar e beber até cair ou virar vegetariano e budista? Todas as alternativas são válidas, mas há um preço a pagar por elas.
Quem dera pudéssemos ser uma pessoa diferente a cada 6 meses, ser casados de segunda a sexta e solteiros nos finais de semana, ter filhos quando se está bem-disposto e não tê-los quando se está cansado, viver de poesia e dormir em hotel 5 estrelas. No way.
Por isso é tão importante o autoconhecimento.
Por isso é necessário ler muito, ouvir os outros, estagiar em várias tribos, prestar atenção ao que acontece em volta e não cultivar preconceitos.
Nossas escolhas não podem ser apenas intuitivas, elas têm que refletir o que a gente é.
Lógico que se deve reavaliar decisões e trocar de caminho: ninguém é o mesmo para sempre.
Mas que essas mudanças de rota venham para acrescentar e não para anular a vivência do caminho anteriormente percorrido.
A estrada é longa e o tempo é curto.
Quanto menos a gente errar, melhor.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

quinta-feira, 6 de maio de 2010

YOGA MANIFESTO

There will be no correct clothes
There will be no proper payment
There will be no right answers
No glorified teachers
No ego no script
No pedestals
No you´re not good enough, or rich enough

This yoga is for everyone

This sweating and breathing and becoming
This knowing, glowing, feeling...
Is for the big, small, weak, and strong
Able and crazy brothers, sisters, grandmothers...
The mighty and meek
Bones that creak
Those who seek
This power is for everyone
Yoga to the people
All bodies rise

Chico Xavier

Nós podemos morar numa casa mais ou menos, numa rua mais ou menos, numa cidade mais ou menos, e até ter um governo mais ou menos.
Nós podemos dormir numa cama mais ou menos, comer um feijão mais ou menos, ter um transporte mais ou menos, e até ser obrigado a acreditar mais ou menos no futuro.
Nós podemos olhar em volta e sentir que tudo está mais ou menos...
TUDO BEM...
O que não podemos mesmo, nunca, de jeito nenhum...
É amar mais ou menos, sonhar mais ou menos, ser amigo mais ou menos, namorar mais ou menos, ter fé mais ou menos, e acreditar mais ou menos.
Assim, corremos o risco de se tornar uma pessoa mais ou menos.
Compreenda...
Nasceste no lar que precisavas, vestes o corpo físico que mereces.
Moras onde melhor Deus te proporcionou, de acordo com teu adiantamento.
Possuis os recursos financeiros coerentes com as tuas necessidades, nem mais, nem menos, mas o justo para as tuas lutas terrenas.
Teu ambiente de trabalho é o que elegeste, espontaneamente para a tua realização.
Teus parentes, amigos são as almas que atraíste, com tua própria afinidade; portanto, teu destino está constantemente sob teu controle.
Tu escolhes, recolhes, eleges, atrais, buscas, expulsas, modificas tudo aquilo que te rodeia a existência.
Teus pensamentos e vontades são a chave de teus atos e atitudes...
São as fontes de atração e repulsão na tua jornada vivêncial.
Não reclames nem te faças de vítima.
Antes de tudo, analisa e observa.
A mudança está em tuas mãos.
Reprograma tua meta, busca o bem e viverás melhor.
Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora a fazer um novo fim.
Benção do Chico.

LUZ!

quinta-feira, 29 de abril de 2010

O AVESSO DA VIDA ATUAL

Li esse texto, ¨A ERA DA CORRERIA¨ há mais ou menos um ano atrás...É chocante a maneira como retiramos vida das nossas vidas em favor dos tempos modernos!
O autor, George Denis Patrick Carlin foi um comediante, ator e autor norte-americano, pioneiro no humor de crítica social e que até meados da década de 1960, mantinha imagem tradicional, depois decidiu deixar crescer o cabelo e a barba, tornando-se um ícone da contracultura. Crítico acérrimo das religiões, ateu convicto, principalmente do sentido da culpa e do controle social, defendia valores seculares.

"Nós bebemos demais, gastamos sem critérios. Dirigimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde, acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV demais e raramente estamos com Deus.
Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores.
Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos frequentemente.
Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos.
Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar um novo vizinho. Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio.
Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.
Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo, mas não nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos menos; planejamos mais, mas realizamos menos. Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.
Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos comunicamos cada vez menos.
Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta; do homem grande, de caráter pequeno; lucros acentuados e relações vazias. Essa é a era de dois empregos, vários divórcios, casas chiques e lares despedaçados. Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas 'mágicas'.
Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na dispensa.
Uma era que leva esta carta a você e uma era que te permite dividir essa reflexão ou simplismente clicar 'delete'.
Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas não estarão aqui para sempre. Lembre-se de dar um abraço carinhoso em seus pais, num amigo, pois não lhe custa um centavo se quer.
Lembre-se de dizer 'eu te amo' à sua companheira(o) e ás pessoas que ama, mas em primeiro lugar, se ame...Se ame muito.
Um beijo e um abraço curam a dor, quando vem de lá de dentro.
Por isso valorize sua família e as pessoas que estão ao seu lado, sempre."

terça-feira, 27 de abril de 2010

MUDRA

Mudrā (Sânscrito, मुद्रा, literalmente "selo"; 印相 inzō em Japonês) é um termo que tem diversas conotações de acordo com o seu uso, significando gesto no Yôga, budismo e na dança indiana.
Os mudrás, como gestos, a cada dia são mais numerosos e vão se incorporando ao folclore e ao inconsciente coletivo de diversas civilizações. Finalmente, os mudrás são também usados em algumas artes marciais.
No Yôga, um dos seis pontos de vista do hinduísmo, os mudrás são um gestos simbólicos feito com as mãos, significando literalmente gesto, selo ou senha, utilizados para penetrar em determinados setores do inconsciente coletivo, conectando o praticante às origens de sua linhagem de Yôga.
Provém da raiz mud, alegrar-se, gostar. Deve ser pronunciado sempre com o “a” tônico, e é palavra do gênero masculino (O Mudrá). Em alguns livros, aparece traduzido como símbolo, mas tal tradução não é correta, uma vez que símbolo, em sânscrito, corresponde à palavra Yantra.
No budismo está sempre relacionado a um Mantra e um Mandala. Juntos eles formam os três segredos do universo, pensamento, verbo e ação (jap. Sanmitsu).

O mudra também é usado nas antigas formas de danças clássicas como o Bharatanatyam e o Kuchipudi, originario do Natya Shastra escrito pelo sábio Bharata a cerca de 4.000 a.C., onde a sequência de gestos é usada simbolicamente para contar uma história.
Quando usados em dança indiana, os Mudras frequentemente são chamados de Hastas, termo sânscrito para "mãos".
No hinduísmo as pinturas e esculturas, ao personificar uma divinade, são complementadas sempre com asanas e mudras, sendo os mudras um componente essencial de caracterização da divindade e o que ela representa.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

quinta-feira, 8 de abril de 2010

O SONHO DO SULTÃO - Satya

Certa vez um sultão sonhou que havia perdido todos os dentes.
Ele acordou assustado e mandou chamar um sábio para que interpretasse seu sonho.
- Que desgraça, senhor! - exclamou o sábio - cada dente caído representa a perda de um parente de vossa majestade!
- Mas que insolente! - gritou o sultão - Como se atreve a dizer tal coisa?!
O sultão chamou os guardas e mandou que lhe dessem cem chicotadas.
Ordenou, em seguida, que chamassem outro sábio, para interpretar o mesmo sonho.
O novo sábio disse:
- Senhor, uma grande felicidade vos está reservada!!! O sonho indica que irá viver mais que todos os vossos parentes!
A fisionomia do sultão iluminou-se e ele mandou dar cem moedas ao sábio.
Quando este saía do palácio, um cortesão perguntou:
- Como é possível? A interpretação que você fez foi a mesma do seu colega e, no entanto, ele levou chicotadas e você moedas de ouro...
- Lembre-se sempre, amigo, tudo depende da maneira de dizer as coisas. E esse é um dos grandes desafios da humanidade! É daí que vem a felicidade ou a desgraça, a paz ou a guerra. A verdade sempre deve ser dita, não resta a menor dúvida, mas a forma como ela é dita é que faz toda a diferença.

VEGETARIANISMO - Osho

Meus discípulos são vegetarianos não como um culto, não como uma crença, mas porque suas meditações os tornam mais humanos, mais do coração, e eles podem perceber toda a estupidez que é matar seres sensíveis para comer. É a sensibilidade deles, a consciência estética que os tornam vegetarianos.Não ensino o vegetarianismo, pois ele é um sub-produto da meditação. Sempre que a meditação aconteceu, as pessoas se tornaram vegetarianas, sempre, por milhares de anos.
O vegetarianismo não é minha filosofia, mas simplesmente um sub-produto. Não insisto nele, mas insisto na meditação. Para mim, a meditação é a única religião essencial, e tudo o que segue é virtude, pois vem espontaneamente. Não tenho nada com o vegetarianismo, mas sei que, se você meditar, crescerá em você nova perceptividade e sensibilidade e você não poderá contribuir com a morte de animais.

Vocês cresceram em famílias que não se preocupavam com o que vocês comiam. Desde o começo, tudo o que lhes era dado, vocês aceitavam. Vocês se acostumaram com isso.
A preocupação de Mahavira e de Gautama Buda era a de que o ser humano não deveria comer apenas para viver; ele deveria comer para crescer em uma consciência mais pura. As duas coisas não podem coexistir: você estar se tornando mais e mais consciente e não estar nem mesmo consciente do que está fazendo, e apenas para satisfazer o paladar, o que é impossível sem matar. Você pode se alimentar de comidas vegetarianas deliciosas; então, comer carne é absolutamente desnecessário, um hábito apodrecido do passado.
Quando a mente começa a mudar, o estômago começa a mudar. Esta é minha observação, que as pessoas que meditam terão de chegar ao momento em que seus estômagos terão de ser reajustados.
O vegetarianismo nada mais é do que um sub-produto da meditação profunda. Se uma pessoa segue meditando, aos poucos perceberá que é impossível comer carne.
A contribuição de Pitágoras à filosofia ocidental é imensa, incalculável. Pela primeira vez, ele introduziu o vegetarianismo ao Ocidente. A idéia do vegetarianismo é de imenso valor; ela está baseada na grande reverência à vida. A mente moderna pode agora entender isso de uma maneira muito melhor, pois agora sabemos que todas as formas de vida estão interligadas, são interdependentes. O ser humano não é uma ilha, ele existe em uma rede infinita de milhões de formas de vida e de existência. Existimos em uma corrente, não estamos separados. E destruir outros animais não é apenas feio e desumano, mas também não-científico. Estamos destruindo nossa própria fundação, já que a vida existe em uma unidade orgânica. O ser humano existe como parte dessa orquestra.
O que você come, você se torna.
Se você come algo que esteja fundamentalmente baseado em assassinato, em violência, não pode se elevar acima da lei da necessidade. Você se tornará mais ou menos um animal. O humano nasce quando você começa a se mover acima dos animais, quando começa a fazer algo a si mesmo que nenhum animal pode fazer.
O vegetarianismo é um esforço consciente, um esforço deliberado. Quanto mais leve a comida, mais profunda será a meditação. Quanto mais grosseira a comida, então a meditação se torna mais e mais difícil. Não estou dizendo que a meditação é impossível para um não-vegetariano; ela não é impossível, mas é desnecessariamente difícil.O vegetarianismo é de imensa ajuda, ele muda a sua química. Quando um animal é morto, ele está com raiva, com medo, naturalmente. Quando você mata um animal...Pense em você sendo morto.
Qual será o estado de sua consciência? Qual será sua psicologia?
Todos os tipos de veneno serão liberados em seu corpo, pois, quando está com raiva, um certo tipo de toxina é liberada em seu sangue. Quando você está com medo, de novo outros tipos de toxinas serão liberadas em seu sangue. E, quando você está sendo assassinado, esses são o medo e a raiva supremos. Todas as glândulas de seu corpo liberam todos os seus venenos.
Quando você vê um animal, se a idéia de irmandade não lhe surgir, você não sabe o que é prece, nunca saberá o que é prece. E é tão feia a própria idéia de que apenas por comida, apenas pelo paladar, você pode destruir a vida. É impossível acreditar que o ser humano siga fazendo isso. É inacreditável que um ser humano de sensibilidade, de consciência, de compreensão e de amor possa comer carne. E, se ele puder comer carne, então algo está faltando; em alguma dimensão ele ainda está inconsciente do que está fazendo, inconsciente das implicações de seus atos.
Você terá que observar toda a sua vida, terá que observar cada pequeno hábito em detalhe, pois, algumas vezes, algo muito pequeno pode mudar toda a sua vida. Algumas vezes pode ser algo muito simples, e ele pode mudar a sua vida tão totalmente que parece inacreditável.
O vegetarianismo é uma mudança alquímica em você, ele cria o espaço no qual o metal básico pode ser transformado em ouro.